Opinião

O futuro que queremos

Fronika de Wit e José Vítor Malheiros

2 dezembro 2022 5:08

2 dezembro 2022 5:08

Alice — Pode dizer-me, por favor, que caminho é que devo escolher?
Gato de Cheshire — Isso depende do lugar para onde queres ir.
Alice — Não me importa muito para onde vou…
Gato de Cheshire — Então não interessa muito que caminho escolhes.
“Alice no País das Maravilhas”, Lewis Carroll

Dizemos que o futuro é imprevisível, que não podíamos ter previsto a pandemia, as crises financeiras, a vulnerabilidade energética, as alterações climáticas, e que todas estas desgraças se abateram sem aviso sobre nós, mas é falso. Tudo isso foi previsto e os alarmes soaram. Simplesmente decidimos ignorá-los e continuar. Saber que uma crise é provável não chegou para a evitar.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.