Opinião

Os Gato Fedorento foram uns meninos

18 novembro 2022 0:07

Este Governo, como outros, agora namora com os “nómadas digitais”, atraídos pela promessa de impostos risíveis, para que se instalem à beira-mar pela época alta e comprem uma mansãozita

18 novembro 2022 0:07

O caso do empreendedor que negociou com a Câmara de Caminha o pagamento de €369 mil de renda referente a 2046 por um edifício a construir num terreno inexistente não é só a prova de como se deita alegremente dinheiro à rua, do poder discricionário de um presidente a fazer carreira política ou até do poder de sedução de um PowerPoint. Isso, com franqueza, até será o menos. Mais importante pode ser que um percurso partidário assente nestes expedientes possa constituir referência bastante para alcandorar o decisor à coordenação do Conselho de Ministros, ou que, uma vez conhecida a marosca, ela tenha sido inicialmente apresentada como um banal ato de gestão. E, se me permitem, muito mais grave é percebermos que a tradição satírica dos Gato Fedorento só foi um pálido reflexo da riqueza histriónica que se pode encontrar em muita daquela política nacional e que a realidade supera sempre a ficção. Isso magoa. Afinal, temos tudo o que se podia pedir numa ópera bufa e faltam-nos cronistas à altura do acontecimento?

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.