Opinião

Perguntas difíceis

José Gameiro

José Gameiro

Psiquiatra e piloto

9 setembro 2022 0:57

Os psis muito bonzinhos prolongam indefinidamente a autocomiseração

9 setembro 2022 0:57

De vez em quando, na clínica, os doentes — termo que utilizo, mesmo para quem não está doente — perguntam: “Vou ficar melhor? Quanto tempo vai durar o tratamento? Como é que decorre o processo terapêutico?”

Se olharmos para a psiquiatria como qualquer outra especialidade médica, as respostas são mais fáceis. Sabemos como atuam os medicamentos, o tempo, em média, que levam a ter efeitos positivos, a duração da medicação, os seus efeitos secundários. Mesmo assim nunca será como numa infeção, em que o antibiótico cura uma grande parte dos quadros clínicos. A imprevisibilidade de um tratamento psiquiátrico é muito maior. Mas se olharmos para a psiquiatria como uma especialidade particular, em que por vezes é necessário medicar, mas que em todas as situações, do meu ponto de vista, que não é o de todos os psiquiatras, é necessário conversar, o tempo, o modo e os resultados são muito mais difíceis de definir à partida. Daqui a pergunta: Como é que vamos fazer isto?