Opinião

A morte (da ex-mulher) e os impostos

5 agosto 2022 0:18

Ivana foi para o paraíso, mas deixou Donald no paraíso fiscal. Quem não se emociona com isto tem o coração de pedra

5 agosto 2022 0:18

A maior parte das pessoas apresenta uma factura para deduzir o IVA no IRS. Donald Trump apresentou o cadáver da ex-mulher para, segundo a revista “Fortune”, deixar de pagar seis categorias de impostos. Parece absurdo, mas não é. Pedir uma factura é simples e fácil; requisitar o corpo de um ex-cônjuge defunto revela uma obstinação que deve, de facto, ser premiada com mais do que uma isenção fiscal. O que se passou foi o seguinte: a primeira mulher do antigo Presidente dos EUA, Ivana Trump, sofreu uma queda em sua casa e morreu. Seguiram-se cerimónias fúnebres em Manhattan, mas o corpo foi enterrado em Nova Jérsia, no clube de golfe de Bedminster, detido por Donald Trump. Ora, em Nova Jérsia, propriedades registadas como cemitério não pagam impostos, e a lei não especifica o número de campas necessárias para que um cemitério seja um cemitério. Muita gente ficou incrédula com a desfaçatez de Donald Trump; pessoalmente, fiquei incrédulo com o facto de ele ter demorado tanto tempo a aproveitar esta oportunidade. Como é que não reparou mais cedo que poderia ganhar dinheiro com a morte de um ente querido? É isto um grande empresário? Que desilusão.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.