Opinião

João Ferreira de Almeida – um mestre que nos deixou

19 junho 2022 19:42

Lecionou no ISCTE desde a sua fundação, em 1972, instituto de que foi presidente.

19 junho 2022 19:42

As Ciências Sociais perderam uma das suas figuras de maior relevo. João Ferreira de Almeida (1941-2022), que nos deixou no passado dia 15, marcou a investigação e o ensino da Sociologia em Portugal ao longo de várias gerações deixando importantes contributos teóricos e de investigação aplicada num tempo de decisiva internacionalização da ciência em Portugal e de forte elevação dos padrões de exigência e de responsabilidade pública da pesquisa em Ciências Sociais entre nós. Fez, assim, parte do processo fundacional da Sociologia moderna em Portugal, primeiro como investigador e, desde 1972, como professor também, no ISCTE-IUL, do qual foi presidente entre 1992 e 2005 e onde era Professor Emérito.

João Ferreira de Almeida

João Ferreira de Almeida

A sua carreira iniciou-se em 1970 quando, a convite de Adérito Sedas Nunes, ingressa no então GIS, hoje ICS-ULisboa. Aí lançou as raízes dos seus contributos científicos para as Ciências Sociais em Portugal e que vão da Sociologia Rural e da Teoria das Classes Sociais até aos Valores e Representações, Sociologia do Ambiente, Desigualdades e Exclusões Sociais. Em todas estas áreas João Ferreira de Almeida deixou publicadas obras de referência.

Particularmente na área do ambiente teve um papel relevante ao coordenar o Observa (então designado Observatório de Ambiente, Sociedade e Opinião Pública), uma parceria entre o ICS e o ISCTE, contribuindo também para a afirmação desta área científica nas ciências sociais em Portugal, tendo coordenado os primeiros inquéritos nacionais sobre o tema em Portugal em 1997 e em 2000.

Foi também o primeiro presidente da APS (Associação Portuguesa de Sociologia), membro do Conselho Consultivo da JNICT, membro do Conselho Científico para as Ciências Sociais da FCT, representante português na comissão permanente para as ciências sociais da European Science Foundation. Em 2018 recebeu a Medalha de Mérito Científico atribuída pelo Ministério da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior.

Reconhecendo e reconhecidos pela importância da sua obra científica, em 2016, 37 cientistas sociais juntaram-se e dedicaram um livro a ele e à sua obra (‘Sociologia e Sociedade – Estudos de Homenagem a João Ferreira de Almeida”, coord. Fernando Luis Machado, Ana Nunes de Almeida e António Firmino da Costa. Ed. Mundos Sociais).

A calma segurança das suas orientações, a sua firmeza sem quebra de amabilidade, o seu equilibrado sentido, tanto das instituições como das pessoas, o seu sorriso e atenção de escuta aos outros, sem pressas, a alegria de viver, faziam dele mais do que o cientista e o professor reconhecidos, também a figura tantas vezes decisiva para a solução de todo o tipo de problemas com que as equipas que coordenou se viam confrontadas. Possa o seu exemplo servir de ajuda para defrontarmos os desafios que a actualidade coloca à Sociologia e aos seus profissionais no mundo de hoje.

Um mestre que partiu, mas ficará sempre connosco. Deixou-nos obras-chave, deixou escola e deixa saudades.