Faltas a cidadania no Ministério Público

12 de setembro de 2020

Bom dia,

Hoje é sábado logo é dia de comprar o seu jornal. O Expresso está nas bancas com a melhor informação e com muito para ler. Deixo-lhe algumas sugestões.

Começo pela notícia que faz manchete do Expresso. O caso da família de Famalicão que proibiu os filhos de irem às aulas de Cidadania e Desenvolvimento foi entregue à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens por “incumprimento dos deveres de assiduidade e a não realização das medidas de recuperação definidas pela escola”. Pais recusaram intervenção e o caso foi enviado para o Ministério Público.

O regresso das aulas está ao ‘virar da esquina’ e o secretário de Estado-adjunto e da Educação, João Costa, pede para que os pais “confiem na escola”, que garante estar preparada. Contudo os computadores prometidos pelo primeiro-ministro e que seriam entregues a alunos e professores no início do ano estão atrasados. Talvez no final do ano. Há especialistas que defendem que para o secundário as aulas deviam ser mistas: presenciais e à distancia.

Entretanto, o número de infetados com o novo Coronavírus continua a aumentar o que está a colocar as autoridades em alerta máximo. O início das aulas vai colocar as deslocações das famílias num nível inédito desde que há pandemia, dando ao vírus maior liberdade de circulação. A maioria das pessoas terá uma infeção invisível e, por isso, os mais vulneráveis vão estar sob risco máximo.

António Costa e Fernando Medina integram a comissão de honra de Luis Filipe Vieira, candidato à presidência do Benfica. E não são os únicos políticos na lista.

Poiares Maduro, agora membro do Conselho Consultivo do PSD, quer que o partido apoie uma coligação PSD/CDS à Câmara de Lisboa encabeçada por Paulo Portas.

Catarina Martins exige mais uma auditoria ao Novo Banco, feita por organismos públicos e que possibilite a revogação do contrato de venda à Lone Star, para aprovar o Orçamento de Estado do próximo ano.

Forças de segurança estão a monitorizar mais de 10 militantes do Chega por alegadas ligações à extrema-direita ultranacionalista e neonazi.

Os órgãos de comunicação social estão há quase quatro meses à espera de receber o apoio que o Estado anunciou que iria dar para mitigar os efeitos da pandemia de covid-19. Nenhum recebeu ainda o que quer que fosse. Nem sabem quando irão receber.

Acompanhe o trabalho que o Expresso está a realizar a bordo do navio de salvamento e resgate “Alan Kurdi” que vai iniciar uma viagem pelo mediterrâneo à procura de ajudar quem tenta desesperadamente chegar à Europa.

O Governo quer alargar a ADSE aos funcionários públicos com contrato individual de trabalho. Um universo de cerca de 100 mil indivíduos, entre trabalhadores e familiares, cuja integração exige cautela, e por isso o Governo optou por um modelo em que as entradas serão faseadas.

Bancos querem mudar quanto e quem paga as contribuições para o Fundo de Resolução. Numa altura em que este poderá ter de procurar alternativas para se financiar, já que o Novo Banco ainda lhe pode pedir mais €914 milhões, os outros bancos querem alterar as regras do jogo que foram obrigados a jogar.

Portugal pode receber da Europa um adiantamento de €1,3 mil milhões de subsídios do novo Mecanismo de Recuperação e Resiliência já em 2021. São 10% do envelope de €13 mil milhões aprovado para financiar a agenda de reformas e investimentos até 2026.

O que se passa com a TAP? Estará condenada a transformar-se numa TAPzinha depois da intervenção do Governo?

Com a pandemia as vendas online dos supermercados dispararam mas estão longe de ser um bom negócio. A margem média de rentabilidade de compras nas lojas físicas é de 2%, para compras online a margem operacional negativa é de 15%.

O IEFP está a ser investigado por violação de privacidade e exposição de dados. Isto porque os centros de emprego estão a realizar sessões informativas obrigatórias por videoconferência para acesso a subsídio de desemprego. Modelo que coloca em causa o direito à privacidade, imagem e segurança dos participantes.

O grupo suíço Mexto, especializado em projetos de reabilitação de luxo, vai investir €30 milhões em Lisboa. Vai estrear-se nos Olivais com um projeto dirigido ao mercado nacional e construído de raiz.

Alberto Manguel já está em Lisboa. Abandonou Montreal no Canadá para se fixar em Portugal. É o bibliófilo mais conhecido do mundo, o “Don Juan das bibliotecas”, e decidiu doar a sua coleção de 40 mil volumes à cidade de Lisboa e aos seus cidadãos, que passam a ter acesso direto aos livros. Uma entrevista a não perder onde o escritor, e novo colaborador regular da revista do Expresso, explica um dos maiores acontecimentos culturais do ano.

Alquimia fotográfica. A não perder também este texto de Jorge Calado sobre a obra do fotógrafo Jorge M. Rodrigues, Prémio Pessoa em 1999.

O confinamento mudou tanto e tantas coisas. Uma delas foi a alimentação. Por necessidade ou prazer abriu-se um novo mundo onde vingaram as entregas de comida gourmet em casa. Pequenos produtores largaram as suas hortas, deixaram as lotas, as queijarias e os lagares e entraram nas cidades carregados de alimentos mais sãos e mais emocionantes. Ultrapassado o estado de emergência, será que já os devemos dispensar?

Expressinho e o Oceanário em 3D. Não perca ainda o suplemento especial destacável Expressinho com atividades e sugestões para o regresso às aulas e uma miniatura em 3D do Oceanário de Lisboa que pode construir em família. Aliás, para quem for visitar o oceanário oferecemos um bilhete de criança na compra de um bilhete de adulto. Não perca!

Tenha um excelente fim de semana na companhia do Expresso.

Partilhe esta edição