Siga-nos

Perfil

Expresso

João Vieira Pereira Diretor-Adjunto

Esta é a última hora da Venezuela

5 de Fevereiro de 2019

Bom dia, o seu Curto de hoje começa do outro lado do Atlântico, onde tudo promete ficar diferente. A situação na República Bolivariana da Venezuela atingiu aquele ponto do qual já não é possível voltar.

À hora que escrevo só faltavam 9 declarações unilaterais para que toda a União Europeia tivesse dado o sim a Juan Guaidó e a eleições livres. Mesmo que tenha falhado a tentativa de aprovar uma declaração comum de apoio ao auto proclamando presidente interino da Venezuela, é cada vez mais improvável que Maduro volte a governar como dantes. "O dia 4 de fevereiro vai ser o dia em que o mundo reconheceu a situação grave na Venezuela", afirmou Guaidó depois de agradecer a cada um dos países, inclusive a Portugal “Gracias al Gobierno de Portugal por su respaldo a esta solución pacífica a la crisis en Venezuela”, escreveu no Twitter.

A sucessão de apoios legitima Guaidó mas não afasta Maduro. O outro Presidente da Venezuela classificou aquelas decisões como “cobardes” e ”desastrosas”. Numa marcha em seu apoio, ao lado de militares, disse ser alvo de um estratagema “gringo” para o afastar e prometeu não ceder: “Eu, Nicolás Maduro Moros, o legítimo e constitucional Presidente da República Bolivariana da Venezuela juro que vou defender com a minha vida a Venezuela”.

A hipótese de uma guerra civil não está afastada. O extremar de posições é claro. E cada vez mais o papel dos militares crucial para perceber o futuro. E não é só a Venezuela que está dividida, o mundo afastou-se entre aqueles que apoiam Maduro e os que preferem Guaidó. E no centro um país riquíssimo, transformado em capital da pobreza, que ainda é a cobiça de muitos. O que ajuda a explicar, com a ajuda do investigador José Pedro Teixeira Fernandes, porque, por exemplo, Erdogan apoia Maduro.

H
á futuro para a Venezuela. Qual não sabemos e igual ao presente não será.

Momentos antes Portugal foi um dos países que reconheceu a legitimidade de Guaidó através das palavras de Augusto Santos Silva. “Portugal reconhecerá e apoiará a legitimidade do senhor Juan Guaidó”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Marcelo Rebelo de Sousa, através de uma curta nota publicada na página da Presidência da República, afirmou rapidamente que apoia a tomada de posição do Governo sobre a Venezuela.

O PCP condenou o reconhecimento do Governo português, considera que a posição do executivo revela “uma intolerável afronta à soberania e independência da República Bolivariana da Venezuela”. O Bloco de Esquerda também está contra (o argumento usado foi o de não se poder colocar ao lado de Trump e Bolsonaro — e eu que pensava que estávamos a discutir o futuro do povo da Venezuela), mas está indeciso e diz não aos dois (curiosamente defende “eleições livres", tal como Guaidó). Rui Rio apoia a decisão,
o reconhecimento de Juan Guaidó e o pedido de eleições livres. Assunção Cristas respondeu com um crítico melhor tarde do que nunca”.

A tomada de posição do Governo português já está a ter efeitos. Oito elementos do Grupo de Operações Especiais (GOE) da PSP foram impedidos de entrar em Caracas, depois de as autoridades venezuelanas terem barrado o desembarque das malas diplomáticas no aeroporto daquela cidade. Na bagagem seguiam as armas dos agentes que integravam uma missão de proteção da embaixada portuguesa.

E para fechar o drama Venezuela, o último balanço do número de presos políticos que, segundo a Organização não-governamental Foro Penal, aumentou para 966, o número "mais alto da história" do país.

Por cá, Marcelo até já foi ao Jamaica Mas foi à Marcelo, sem avisar, de improviso, como ele gosta de fazer parecer. Guiou até lá para uma visita "de observação" e durante uma hora contactou com moradores do bairro. Foi recebido pelos dirigentes da associação de moradores.

Salimo Mendes é o vice-presidente daquela associação e está rendido a Marcelo (o que por si só já não é notícia). “Esta visita-relâmpago numa altura como esta foi muito importante para nós”, confessa e diz que Marcelo entrou no bairro sem comitiva e sem as câmaras de televisão o que tornou a ação "ainda mais positiva”. Foi Salimo Mendes quem acompanhou Marcelo no passeio pelo Jamaica, que durou cerca de 45 minutos.

No final da surpresa, Marcelo Rebelo de Sousa prometeu que esta não será visita única. "Disse-nos que vai voltar a passar pelo Jamaica mais vezes". Marcelo em estado puro.

O Rui não gosta (ou ler para quê?) O Tribunal de Contas (TC) chumbou o modelo de requalificação do antigo Matadouro Industrial de Campanhã. O projeto iria custar €40 milhões e foi entregue à Mota Engil, que devia arrancar com as obras em abril. A decisão do tribunal foi tomada na sexta-feira e ontem Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, convocou uma conferência de imprensa para classificá-la de “intromissão inadmissível que põe em causa a soberania dos municípios”.

Defende o presidente da Câmara do Porto, mesmo sem ter lido as 176 páginas do acórdão, que “é assim que se assassina a democracia, quando deixa de fazer sentido para o cidadão votar. Porque a sua vontade, afinal, não vale e é travada pela vontade de quem não conhece e em quem não votou”. O Tribunal cumpre a lei e Rui Moreira diz que se está a assassinar a democracia….(sem comentários).

OUTRAS NOTÍCIAS

A morte em casa O número de mortes por violência doméstica voltou a disparar em janeiro, mês em que nove mulheres foram assassinadas. A notícia faz a manchete do "Público".

Justiça a conta gotas Valdemar Alves é o presidente da Câmara de Pedrógão Grande e o novo arguido no âmbito do processo sobre os trágicos incêndios.

Só mais seis meses A Procuradora Cláudia Porto pediu que processo de Tancos seja considerado de especial complexidade. Se o juiz concordar, a acusação só será feita em setembro e os arguidos podem ficar até ao final do verão em prisão preventiva sem acusação.

Que raio de greve 57% das cirurgias previstas para 31 de janeiro e 1 de fevereiro não se realizaram por causa da nova greve dos enfermeiros. O balanço do Ministério da Saúde refere que das 1.133 operações previstas em sete hospitais e centros hospitalares, um total de 645 não se realizaram. O Estado vai passar a ter informação detalhada sobre greves através do futuro Sistema de Informação e Organização do Estado, a notícia é destaque do "Negócios" desta terça-feira.

Quem não faz, paga Os proprietários de imóveis devolutos ou em ruínas vão pagar o triplo do IMI em Lisboa. Para já, porque, assim que a lei o permita, a autarquia quer cobrar até seis vezes mais.

Fogo mortal (notícia de última hora)
Um incêndio num edifício residencial de oito andares no 18.º bairro de Paris causou pelo menos a morte a oito pessoas e feriu 30, avança o Le Monde. Uma habitante do prédio foi detida.

Paga e cala BPI, CGD, BCP e Novo Banco têm previsto cobrar comissões pelas transferências através do MB Way. Até agora nenhum efetivamente as cobra mas o BPI vai ser o primeiro.

Nacionalizar a REN, claro que sim A possibilidade de o Estado voltar a ter uma participação na REN e que o Governo está a estudar há várias semanas, conforme revelou o Expresso no último sábado, é um cenário que recolhe apoios de vários partidos com assento parlamentar, da esquerda à direita. Uma hipótese que, entre os deputados de várias cores políticas, apenas é reprovada pelo PSD.

O rapto que não foi A mulher que tentou roubar um bebé no Hospital de São João no Porto, no sábado, ficou em prisão preventiva.

Morte na estrada O condutor de um carro que se despistou na Galiza na madrugada de domingo está indiciado por homicídio involuntário na morte do outro português que viajava na viatura. O condutor acusou positivo no teste de alcoolemia.

A maior ponte do mundo no Paiva Terá 516 metros de comprimento e uma altura de 175 metros sobre o rio Paiva. No município de Arouca vai nascer a "maior ponte pedonal suspensa do mundo".

Cuidado com a trotinete Até domingo, quem estacionar mal uma das muitas trotinetes elétricas que invadiram Lisboa pode ser multado. A Câmara de Lisboa e a PSP querem apertar o cerco a estes aparelhos e a autarquia vai obrigar à implementação de um sistema que só permita estacioná-las em locais adequados.

Aluga-se imaginação A Ikea não pára de inovar. Agora vai lançar um novo mercado de aluguer de mobiliário. Para já é só um teste. Na Suíça os clientes vão pode alugar os equipamentos em alternativa à compra. Algo me diz que funcionar na Suíça não é garantia que funcione noutros países.

Adeus gelos do Himalaia Cerca de um terço dos enormes campos gelados na cordilheira do Himalaia estão condenados devido às alterações climáticas.

A cor do mar vai mudar As alterações climáticas também estão a provocar mudanças significativas nos micro-organismos vegetais dos oceanos, o que irá mudar a cor da água nas próximas décadas. As cores azuis e verdes vão ser mais intensas na superfície dos oceanos, indica um estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

In Britain no Enquanto continuam os avanços e recuos do Brexit, o governo norueguês emitiu um alerta onde avisa os jovens noruegueses para estudarem noutros países que não os do Reino Unido.

A pior das notícias Os destroços do avião onde viajava Emiliano Sala foram descobertos a 63 metros de profundidade no Mar do Norte. Autoridades dizem que há um corpo ainda dentro do avião.

O QUE DIZEM OS NÚMEROS
No poupar… Hoje esta pequena rubrica começa com o que pode poupar na hora de entregar o IRS. Não perca as dicas do Contas Poupança.

68.672 dólares por minuto é o lucro da Google (Alphabet) no último trimestre de 2018, ou seja, 8,9 mil milhões de dólares em três meses.

7% de desemprego A taxa de desemprego em 2018 deve ter diminuído para 7% em termos de média anual. Para encontrar um valor mais baixo é preciso recuar a 2004, quando ficou nos 6,6%.

€285 milhões é o valor que a EDP quer receber e por isso avançou com uma ação administrativa para contestar o corte que o Governo aprovou nas receitas da elétrica no regime CMEC.

€500 milhões são os lucros do Santander em Portugal em 2018. O número corresponde a um aumento de 14,6% em relação ao exercício de 2017. O valor foi divulgado por Pedro Castro e Almeida, o novo presidente executivo do Santander Totta.

$218 milhões é o valor que a Tesla vai pagar pelo fabricante tecnológico de baterias Maxwell.

O QUE EU ANDO A LER
Não conhecia Javier Marias. Foi uma entrevista (esta, no Expresso) que me apresentou aquele que é considerado o maior escritor espanhol da atualidade. Erro meu. Sem dúvida. Enorme. Gigante. Cada página que sorvo torna-o maior. O erro, que palavra por palavra vou tentado fazer desaparecer, sempre sem sucesso. É como tentar pisar a própria sombra. Só é possível com muita imaginação e alguma batota.

“Os enamoramentos” não é um livro fácil. A escrita de Javier Marias também não. Primeiro estranha-se, depois adora-se. O romance não é fluido. A ação faz parece um filme de Manoel Oliveira em fast forward. Mas a forma como dobra as palavras, como encadeia reflexões, uma atrás da outra, marca um outro ritmo dentro da própria história que nos vai agarrando. Atreva-se.

Deixou outra sugestão, desde o sábado passado está nas bancas a revista Expresso Extra. O melhor do melhor jornalismo, uma seleção de algumas das melhores notícias, investigações, reportagens, entrevistas, análises e fotografias que marcaram o seu jornal no ano passado.

Uma revista onde pode descobrir ou revisitar os grandes temas que os jornalistas e colaboradores do Expresso foram acompanhando ao longo de um ano. Tudo numa revista de 260 páginas para guardar. Atreva-se.

Este Expresso Curto fica por aqui. Tenha uma ótima terça-feira e vá acompanhando a atualidade nacional e internacional no site do Expresso e no seu Diário, às 18 horas.

Partilhe esta edição