Reino Unido

Boris Johnson fecha acordo para livro de memórias sobre a sua polémica governação

17 janeiro 2023 8:25

O antigo primeiro-ministro britânico fotografado enquanto era presidente da câmara de Londres, na conferência anual da Greater London Authority

ben pruchnie

A editora HarperCollins revelou que a obra, ainda sem título, será um livro de memórias sobre um primeiro-ministro “como nenhum outro”

17 janeiro 2023 8:25

O ex-primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, assinou um acordo para escrever um livro de memórias sobre o seu período conturbado no cargo, que começou com a promessa “concretizar o Brexit” e terminou com polémicas e a sua renúncia.

A editora HarperCollins revelou segunda-feira que a obra, ainda sem título, será um livro de memórias sobre um primeiro-ministro “como nenhum outro”.

Johnson tornou-se primeiro-ministro em julho de 2019, obteve uma grande vitória eleitoral em dezembro e tirou o Reino Unido da União Europeia [Brexit] no ano seguinte.

Depois, liderou o Reino Unido durante a pandemia de covid-19, que o levou a estar internado nos cuidados intensivos, e nos primeiros meses da invasão russa da Ucrânia.

Por outro lado, esteve envolvido em vários escândalos sobre as suas finanças e ética.

Boris Johnson foi forçado a renunciar ao cargo em julho de 2022, depois de dezenas de membros do seu governo terem saído em protesto.

Ainda não foi definida nenhuma data para a publicação do livro e também não foram divulgados os detalhes financeiros do acordo.

“Estou ansioso para trabalhar com Boris Johnson enquanto ele escreve o seu relato sobre o seu mandato durante alguns dos eventos mais importantes que o Reino Unido viu nos últimos tempos”, sublinhou Arabella Pike, diretora editorial da William Collins.

Johnson, um ex-jornalista, escreveu vários livros, incluindo "The Churchill Factor", sobre o ex-primeiro-ministro Winston Churchill durante a guerra.

Em 2015, o conservador assinou um contrato para um livro sobre William Shakespeare, inicialmente previsto para publicação em 2016. Posteriormente, foi adiado indefinidamente.