Guerra na Ucrânia

Reportagem na Ucrânia: Soledar pode cair, Bakhmut faz frente aos russos. Como é a vida que resta na “fortaleza de bombas”?

15 janeiro 2023 19:58

André Luís Alvez, em Bakhmut

Um habitante empurra a bicicleta em Bakhmut, por entre armadilhas anti tanque e a destruição das habitações

dimitar dilkoff/afp/getty images

A 715 quilómetros de Kiev, Bakhmut é a cidade mais a leste controlada pelos ucranianos. Soledar, 10 quilómetros a norte, parece estar a cair. É o único avanço russo em meses, mas a Ucrânia não se resigna. Bakhmut é uma antiga fortaleça cossaca, e está, para já, a conseguir fazer justiça à História

15 janeiro 2023 19:58

André Luís Alvez, em Bakhmut

Permanecem em Bakhmut menos de sete mil habitantes, 10% da sua população. A cidade manteve o nome sovié­tico, Artemivsky, até retomar, em 2016, o original, de raiz turca. Já no século XVII era uma importante fortaleza cossaca. A sua economia está ligada à exploração de sal (mina Artemsil, em Soledar) e, mais recentemente, ao espumante Artemivske, famoso no país. A sua produção mudou para Odessa por causa dos bombardeamentos constantes. A fábrica, no leste da cidade, tinha cerca de mil trabalhadores a 1 de junho.

Dois terços da população são etnicamente ucranianos, menos de 30% russos. A maioria fala russo. Desde agosto, Moscovo intensificou a ofensiva para tomar a cidade, até à data sem sucesso. Há tropas russas a sul, em Opytne, a norte, em Soledar, e em todo o limite leste da cidade. Após semanas de impasse, nos últimos dias mercenários do grupo de segurança russo Wagner reclamam que Soledar estará quase tomada. Há informação de que poderá cair nos próximos dias. Baixas tremendas de ambos os lados são confirmadas pelo número de macas ensopadas em sangue no antigo posto de estabilização médica ucraniana. Drones captam imagens de campos pejados de cadáveres russos.