Angola

Serguei Lavrov desloca-se a partir de terça-feira a Luanda para encontros bilaterais

23 janeiro 2023 19:34

russian foreign affairs ministry / handout

Visita de trabalho do responsável dos Negócios Estrangeiros acontece numa altura em que Angola, após se posicionar de forma neutra perante a guerra na Ucrânia, abstendo-se de votar uma resolução das Nações Unidas condenando a invasão russa, em março, juntou-se em outubro à maioria dos países que condenaram a anexação de territórios ucranianos pela Rússia

23 janeiro 2023 19:34

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, Serguei Lavrov, desloca-se na terça-feira à capital angolana, para se encontrar com o seu homólogo, Téte António, e o Presidente angolano, João Lourenço. A chegada de Lavrov ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro está marcada para as 18h05 locais, realizando-se o programa oficial apenas no dia seguinte.

Na quarta-feira, o chefe da diplomacia russa, acompanhado da sua delegação, vai encontrar-se de manhã com o ministro das Relações Exteriores, Téte António, seguindo depois para uma audiência com o chefe de Estado angolano, João Lourenço.

Às 12h30, o ministro russo visita o Memorial Dr. António Agostinho Neto, bem como o jazigo do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, que morreu em 8 de julho do ano passado. Lavrov segue logo depois para uma visita guiada ao Museu Nacional de História Militar e irá passar ainda antes de almoço pela Escola da Embaixada da Federação Russa. O diplomata regressa a Moscovo na quinta-feira de manhã.

A visita de trabalho do responsável dos Negócios Estrangeiros acontece numa altura em que Angola, após se posicionar de forma neutra perante a guerra na Ucrânia, abstendo-se de votar uma resolução das Nações Unidas condenando a invasão russa, em março, juntou-se em outubro à maioria dos países que condenaram a anexação de territórios ucranianos pela Rússia.

Angola tem vindo a reposicionar-se nos últimos meses em termos de política externa, aproximando-se dos Estados Unidos da América e da União Europeia, e distanciando-se da Rússia.

Ainda em meados de janeiro, João Lourenço disse que era hora de negociar a paz na Europa, voltando a apelar a um cessar-fogo definitivo e incondicional por parte da Rússia para criar o "necessário ambiente negocial" entre as partes.

O chefe de Estado angolano apontou a guerra na Ucrânia como "uma séria ameaça à paz e segurança" da Europa e do mundo, provocando a maior crise energética, alimentar e humanitária desde a Segunda Guerra Mundial.

Em abril de 2019, João Lourenço visitou Moscovo e discursou perante os 450 deputados da Duma (a Câmara Baixa do parlamento russo) incentivando a uma maior cooperação empresarial em áreas que contribuam para a diversificação da economia angolana.

Citado na altura pelo Jornal de Angola, o Presidente angolano falou sobre parcerias público-privadas e empresas mistas russo-angolanas e lembrou que é "em momentos de crise que se reconhecem os amigos", numa alusão à necessidade de a Rússia apoiar Angola no seu objetivo de se libertar de uma economia praticamente dependente das receitas do petróleo.