Internacional

Vala comum na Líbia revela 42 corpos não identificados

2 outubro 2022 15:29

Em outubro de 2017, os corpos de 21 cristãos coptas assassinados pelo grupo em 2015 foram encontrados numa outra vala comum perto de Sirte

2 outubro 2022 15:29

A descoberta de uma vala comum em Sirte, antigo reduto do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) na Líbia, revelou 42 corpos não identificados, anunciaram hoje as autoridades líbias.

Na sequência de relatos da "existência de uma vala comum" em Sirte, no antigo local de uma escola, uma equipa de investigação descobriu e exumou "42 corpos não identificados", explicaram as autoridades líbias, num comunicado.

“Foram retiradas amostras dos ossos para análise de ADN, em coordenação com o gabinete de medicina legal”, acrescentaram as autoridades.

O movimento jiadista Daesh fez da cidade de Sirte um dos seus principais redutos em 2015-2016, aproveitando a ausência de forças governamentais.

Os elementos dessa organização radical defenderam a cidade ao longo de vários meses, usando táticas de guerrilha urbana, antes de serem derrotados por forças pró-governamentais no final de 2016.

Os confrontos deixaram a cidade em ruínas e a maioria dos jiadistas recuou para o deserto do Saara.

Em outubro de 2017, os corpos de 21 cristãos coptas assassinados pelo grupo em 2015 foram encontrados numa outra vala comum perto de Sirte.

Em outubro de 2018, uma vala comum contendo 110 cadáveres de combatentes do Daesh foi encontrada na cidade, localizada nas margens do Mediterrâneo, e, em dezembro do mesmo ano, as autoridades anunciaram a descoberta dos restos mortais de 34 etíopes que foram executados pelo Daesh em 2015.

Mais recentemente, duas valas comuns, com sete e oito corpos, respetivamente, foram descobertas no pátio de um hospital em Sirte, no final de agosto.

Também foram descobertas diversas valas comuns em Tarhouna (oeste), com mais de 250 restos mortais encontrados desde o verão de 2020, resultado de abusos qualificados como "crimes de guerra" e "crimes contra a humanidade" por uma missão de investigação da ONU.