Internacional

ONU lança fundo financeiro para apoiar educação de crianças vulneráveis em todo o mundo

17 setembro 2022 18:48

O antigo primeiro-ministro britânic Gordon Brown é o enviado da ONU para a Educação Global

duncan mcglynn/getty images

Iniciativa será lançada na segunda-feira e conta com o empenho da Reino Unido, Países Baixos e Suécia

17 setembro 2022 18:48

As Nações Unidas e vários parceiros lançaram este sábado um fundo para apoiar a educação de crianças vulneráveis no mundo, com uma dotação inicial de 2 mil milhões de dólares, que poderá alcançar os 10 mil milhões até 2030.

O Mecanismo Financeiro Internacional para a Educação – cuja dotação em dólares e euros é semelhante à taxa de câmbio atual - será utilizado para responder à atual crise da educação e às desigualdades crescentes neste domínio, exacerbadas pela combinação da pandemia de convid-19, alterações climáticas e conflitos em todo o mundo, esclareceu a Organização das Nações Unidas (ONU).

O projeto, que está a ser desenvolvido há anos, utiliza uma combinação de subvenções de doadores e garantias estatais para gerar financiamento, que pode ser utilizado em projetos de educação.

A ONU sublinha que o mecanismo multiplicará por sete vezes cada dólar investido, em comparação com a ajuda tradicional. Os Países Baixos, a Suécia e o Reino Unido têm estado na vanguarda da iniciativa, que visa compensar o declínio dos recursos para a educação nos países pobres e de rendimento médio.

O novo fundo será oficialmente lançado na Cimeira para a Transformação da Educação, convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, esta segunda-feira. A ONU está a organizar desde sexta-feira discussões sobre a questão, primeiro com representantes da juventude, e hoje com o sector privado e organizações de diferentes áreas, potenciais parceiros da iniciativa.

"Para transformar verdadeiramente a educação precisamos de uma mudança total", sublinhou Gordon Brown, antigo primeiro-ministro britânico e enviado da ONU para a Educação Global, numa declaração em que considerou o efeito multiplicador do instrumento financeiro hoje lançado e a importância dessa dinâmica na ajuda às crianças mais vulneráveis do mundo.