Internacional

Casa Branca considera “cruel” transferência de migrantes por governadores republicanos

16 setembro 2022 9:41

"Quando os governadores republicanos interrompem este mecanismo e usam os migrantes como peões políticos, é vergonhoso”

anna moneymaker

Governadores republicanos têm enviado imigrantes em autocarros para redutos democratas em todo o país, como a luxuosa ilha de Martha's Vineyard, no nordeste dos Estados Unidos, e Washington

16 setembro 2022 9:41

A Presidência norte-americana classificou esta quinta-feira como “vergonhoso” e “cruel” o envio, por governadores republicanos, de autocarros e aviões com migrantes para a luxuosa ilha de Martha's Vineyard, no nordeste dos Estados Unidos, e para Washington.

“Existe um mecanismo e meios legais (…) para gerir os migrantes. Quando os governadores republicanos interrompem este mecanismo e usam os migrantes como peões políticos, é vergonhoso”, realçou a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre.

A assessora considerou, durante a conferência de imprensa diária, a transferência de migrantes “uma manobra política premeditada" e "cruel".

Há meses que autoridades republicanas locais transportam imigrantes em autocarros para redutos democratas em todo o país.

Os republicanos acusam o Presidente dos EUA Joe Biden de ter transformado a fronteira com o México num ‘coador’ e estão a tentar colocar a imigração no centro da campanha para as eleições de novembro.

Embora o Governo de Biden tenha prometido tratar as pessoas que chegam à fronteira sul com humanidade, também está a tentar mostrar a sua firmeza, noticia a agência France-Presse (AFP).

Karine Jean-Pierre, ilustrando este equilíbrio, referiu esta quinta-feira que serão “deportados este ano mais indivíduos detidos na fronteira do que nunca".

"Estamos a consertar um sistema avariado. Não é como apertar um botão, leva tempo", defendeu ainda.

Na manhã de quinta-feira, dois autocarros com migrantes pararam junto da residência da vice-presidente Kamala Harris, em Washington, enviados pelo conservador governador do Texas, Greg Abbott.

Ao contrário de ocasiões anteriores, em que autocarros com imigrantes indocumentados chegavam à estação de comboios da cidade, Union Station, desta vez os veículos deixaram os passageiros ao lado da residência de Kamala Harris.

Em abril, Abbott anunciou a sua intenção de enviar imigrantes indocumentados para Washington, em resposta à decisão do Governo de Biden de rescindir um regulamento de saúde que permitia a expulsão destes devido à pandemia de covid-19, que não foi implementado devido ao bloqueio dos tribunais.

Mais tarde, em maio, o governador do Arizona, o também republicano Doug Ducey, imitou a medida e começou a enviar autocarros com migrantes para a capital.

No início de agosto, autocarros com migrantes começaram a chegar a Nova Iorque e este mês a Chicago.

Na quarta-feira, o governador da Florida, Ron DeSantis, uma estrela em ascensão da extrema-direita, reivindicou a responsabilidade pelo envio de dois aviões com migrantes para a luxuosa ilha de Martha's Vineyard, que se tornou para a direita o símbolo de todas as falhas da elite democrata.

A porta-voz da Casa Branca disse que é "profundamente perturbador" que os cerca de cinquenta migrantes venezuelanos, incluindo crianças, transportados para a ilha tenham sido "enganados sobre seu destino e o que os esperava na chegada".

Ron DeSantis justificou a sua decisão com a inação do governo de Joe Biden, que "não move um dedo" para proteger a fronteira dos EUA com o México.

"A Florida não é um Estado santuário [para migrantes]", salientou DeSantis, apontado como possível candidato presidencial em 2024, em conferência de imprensa.