Internacional

Popularidade de Biden sobe a dois meses das eleições intercalares nos EUA

15 setembro 2022 17:54

brendan smialowski/getty images

Presidente norte-americano recuperou no índice de popularidade de um mínimo de 36 por cento em julho para 45%, impulsionado em grande parte pela recuperação do apoio dos democratas, de acordo com uma nova sondagem

15 setembro 2022 17:54

A popularidade do Presidente dos EUA, Joe Biden, aumentou substancialmente, mas as preocupações dos eleitores sobre o estado da economia persistem, de acordo com uma sondagem divulgada esta quinta-feira.

De acordo com uma sondagem da Associated Press/NORC Center for Public Affairs Research, Biden recuperou no índice de popularidade de um mínimo de 36 por cento em julho para 45%, impulsionado em grande parte pela recuperação do apoio dos democratas, a dois meses das eleições intercalares de novembro.

Para essas eleições – que escolherão a quase totalidade dos elementos das duas câmaras do Congresso – os democratas parecem agora melhor posicionados, depois de anteriores sondagens terem colocado os republicanos à beira de uma recuperação substancial, com o Presidente Biden a ser responsabilizado pelos fracos resultados económicos.

O índice de aprovação do Presidente, no entanto, ainda permanece submerso: 53% dos eleitores não aprovam o seu trabalho até agora, apontando razões económicas para a sua desconfiança perante a Casa Branca.

A avaliação do Presidente agora é semelhante ao que foi ao longo do primeiro trimestre do ano, mas Biden continua aquém dos valores do início do seu mandato, quando o nível de aprovação atingiu 60%.

Ainda assim, a sondagem hoje divulgada sugere que Biden e os candidatos democratas ao Congresso estão a ganhar força, gerando mais elevados níveis de entusiasmo e participação dos eleitores.

Contribuíram para estes dados o facto de os preços médios da gasolina terem caído 26% desde junho, reduzindo um pouco a pressão sobre os orçamentos familiares, mesmo que a inflação permaneça alta, bem como a aprovação pelo Congresso de dois projetos de lei, no mês passado, para reduzir as emissões de carbono.

Os republicanos também têm enfrentado alguns reveses, sobretudo depois de o ex-Presidente Donald Trump ter sido alvo de uma busca do FBI na sua casa na Florida, onde foram encontrados documentos oficiais pertencentes ao Governo dos EUA.

Aliás, as sondagens sugerem que uma razão para a recuperação de Biden é o ressurgimento de Trump no cenário político, fazendo com que muitos eleitores que apenas toleram Biden digam que vão votar no Partido Democrata, apenas para evitar o regresso do ex-Presidente.

Entre os republicanos permanece a desconfiança em relação a Biden, com apenas um em cada 10 eleitores deste partido a aprovarem o desempenho do Presidente.

Os democratas estão mais agradados com Biden agora do que em junho, 46% contra 31%, e quase metade tem uma perspetiva otimista, bem mais do que os 27% em junho.