Internacional

Líderes dos Balcãs pedem à UE que acelere alargamento à região em nome da paz

12 setembro 2022 17:09

O primeiro-ministro albanês Edi Rama (E), o primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Dimitar Kovachevsky (C) e o presidente sérvio Alexander Vucic (D)

anadolu agency/getty images

"Reafirmamos a importância do alargamento da UE como contributo para a preservação da paz e da estabilidade na nossa região", disse o Presidente da Eslovénia

12 setembro 2022 17:09

Os líderes dos Balcãs Ocidentais pediram hoje à União Europeia (UE) que acelere o processo de integração da região, para garantir a paz, sobretudo atribuindo este ano à Bósnia-Herzegovina o estatuto de candidato à adesão ao bloco comunitário.

Os presidentes da Albânia, Bósnia-Herzegovina, Croácia, Eslovénia, Kosovo, Macedónia do Norte, Montenegro e Sérvia refletiram este apelo nas conclusões, adotadas por consenso, de uma cimeira realizada na cidade eslovena de Brdo kod Kranj.

"Reafirmamos a importância do alargamento da UE como contributo para a preservação da paz e da estabilidade na nossa região", disse o chefe de Estado esloveno, Borut Pahor, numa conferência de imprensa após a cimeira.

Dos países da região dos Balcãs, quatro têm estatuto de candidato à adesão à UE (Sérvia, Montenegro, Macedónia do Norte e Albânia), mas dois ainda não o têm (o Kosovo e a Bósnia-Herzegovina). Além de insistirem para que a Bósnia-Herzegovina seja aceite como candidata à adesão à UE antes do final de 2022, apelaram ao bloco comunitário para liberalizar o regime de vistos e para ajudar a região a lidar com a crise energética.

A cimeira terminou com um documento de conclusões mas sem declaração formal conjunta, já que os líderes não conseguiram um acordo, como já aconteceu em anos anteriores, aparentemente devido a divergências perante o reconhecimento do Kosovo por parte da Sérvia e outras controvérsias.