Internacional

UNITA não reconhece resultados provisórios das eleições angolanas

26 agosto 2022 20:17

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

horacio villalobos/getty images

Adalberto Costa Júnior, líder da UNITA, apontou "discrepâncias brutais" entre os mandatos atribuídos pela CNE e os que resultaram da análise efetuada pelo partido. Desafiou a CNE a aceitar, "em nome da verdade", que seja criada uma "comissão internacional" e independente para comparar os resultados

26 agosto 2022 20:17

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Adalberto Costa Júnior, líder da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), afirmou na conferência de imprensa convocada para esta sexta-feira à tarde que o partido não reconhece os resultados provisórios das eleições angolanas que foram divulgados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE).

"O MPLA não venceu as eleições de 24 de agosto, pelo que a UNITA não reconhece os resultados que foram divulgados", sublinhou o presidente da UNITA.

De acordo com o "sistema de escrutínio paralelo" que foi criado pela UNITA para analisar os resultados das eleições, há "discrepâncias brutais" entre os mandatos atribuídos ao partido do galo negro pela CNE e os que resultaram da análise efetuada pelo partido.

Essa diferença verificar-se-á, entre outros locais, na província de Luanda, onde a UNITA "obteve 70% dos votos e não 62,59%", como divulgou a CNE, afirmou Costa Júnior. Outro exemplo é o da província do Moxico, onde a diferença de votos apurados pelo partido e pela CNE é de cerca de 20 mil. "Foi atribuído um mandato à UNITA, quando deveriam ter sido atribuídos dois", defendeu o líder do partido.

Adalberto Costa Júnior também denunciou a "votação abusiva e ilegal" que, segundo ele, decorre em alguns locais, 48 horas depois do encerramento das urnas em Angola. E desafiou a CNE a aceitar, "em nome da verdade", que seja criada uma "comissão internacional" e independente para comparar os resultados apurados pelos partidos e pela própria comissão

Durante a conferência de imprensa, Costa Júnior acusou o MPLA de ser responsável pela "deterioração" do país e garantiu que a UNITA vai "resistir" e "fazer história". Aos angolanos pediu para que se mantenham "calmos, serenos e confiantes na direção da UNITA".