Internacional

Irão coloca em liberdade condicional ambientalista iraniano-britânico acusado de espionagem

27 julho 2022 16:58

stefan rousseau - pa images/getty images

O ambientalista, de 66 anos, que foi cofundador da Fundação do Património da Vida Selvagem Persa, é uma das várias pessoas com cidadania iraniana e ocidental que foram presas pelas autoridades iranianas, no seu caso acusado de espionagem

27 julho 2022 16:58

O ativista ambiental inglês Morad Tahbaz, que está preso no Irão há mais de quatro anos, recebeu liberdade condicional e já está em casa da sua família, em Teerão, anunciou esta quarta-feira o Governo britânico.

O ambientalista, de 66 anos, que foi cofundador da Fundação do Património da Vida Selvagem Persa, é uma das várias pessoas com cidadania iraniana e ocidental que foram presas pelas autoridades iranianas, no seu caso acusado de espionagem. Os países ocidentais dizem que as acusações são uma farsa e afirmam que o Irão usa prisioneiros de dupla nacionalidade para fins políticos.

Dois outros iraniano-britânicos detidos, Nazanin Zaghari-Ratcliffe e Anoosheh Ashoori, também acusados de espionagem, foram libertados em março e já voltaram ao Reino Unido. Tahbaz foi autorizado a sair em licença na mesma altura, mas obrigado depois a regressar à prisão.

O seu caso é mais complicado que os dos outros dois, já que Tahbaz tem cidadania do Irão, do Reino Unido e ainda dos Estados Unidos.

As forças de segurança iranianas prenderam Tahbaz em janeiro de 2018 no âmbito de uma ampla repressão contra ativistas ambientais na República Islâmica. Ambientalista proeminente, Tahbaz foi condenado a 10 anos de prisão por acusações de espionagem, consideradas vagas pelos Estados Unidos, e por minar a segurança do Irão.

Funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico disseram continuar “a trabalhar, em estreita colaboração com os Estados Unidos, para instar as autoridades iranianas a libertá-lo permanentemente e permitir a sua saída definitiva do Irão”.