Internacional

“Grandes progressos” da missão militar em Cabo Delgado, mas ameaça terrorista mantém-se

19 julho 2022 13:10

Deslocados de Metuge em busca de refúgio. O terrorismo leva milhares de moçambicanos a abandonar as suas povoações

alfredo zuniga/getty images

Comunidade Desenvolvimento da África Austral elogia esforço contra grupos islamitas. Esforço tem de ser regional e permanente, adverte

19 julho 2022 13:10

A Comunidade Desenvolvimento da África Austral (SADC) elogiou esta terça-feira a missão militar que apoia Moçambique no combate ao terrorismo em Cabo Delgado. “Apraz-me destacar que a missão da SADC em Moçambique [SAMIM] tem feito grandes progressos no restabelecimento da paz e segurança em Cabo Delgado”, disse a ministra das Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, Naledi Pandor, na abertura de uma reunião da SADC sobre Cooperação em Política, Defesa e Segurança, em Pretória.

Segundo a chefe da diplomacia sul-africana, além da missão militar no terreno, a SADC desenvolve programas de apoio para as comunidades locais, através do Mecanismo de Resposta Antecipada da União Africana. “São esforços que visam contribuir para a reconstrução em curso em Cabo Delgado, no âmbito do plano definido pelo Governo de Moçambique”, acrescentou Pandor, destacando o terrorismo como ameaça que exige cooperação regional.

“Os esforços regionais para prevenir e combater a proliferação de armas devem ser intensificados e encorajados. A este respeito, os Estados-membros devem fortalecer e priorizar a aplicação do protocolo da SADC sobre controlo de armas de fogo, munições e materiais relacionados”, acrescentou. Quinta-feira a SADC prorrogou provisoriamente a sua missão militar que combate grupos armados islamitas no norte de Moçambique.

A decisão foi tomada durante uma cimeira extraordinária dos chefes de Estado e de Governo da SADC, reunida em formato virtual. Moçambique foi representado pelo seu chefe de Estado, Filipe Nyusi.

Reapreciação em agosto na República Democrática do Congo

O alargamento provisório do destacamento das tropas da África Austral vai durar até à “apreciação e consideração” do relatório abrangente da SAMIM pela cimeira ordinária dos chefes de Estado e de Governo da SADC, agendada para 17 e 18 de agosto de 2022, na República Democrática do Congo.

A província de Cabo Delgado é rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Daesh (autoproclamado Estado Islâmico). Há cerca de 800 mil deslocados internos devido ao conflito, segundo a Organização Internacional das Migrações (OIM), e cerca de 4000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED.

Desde julho de 2021, uma ofensiva das tropas governamentais com apoio do Ruanda, a que se juntou a SADC, permitiu recuperar zonas onde havia rebeldes. A fuga destes tem provocado novos ataques noutros distritos usados como passagem ou refúgio.