Internacional

Terrorista condenado em França é levado para outro julgamento na Bélgica

13 julho 2022 12:49

Salah Abdeslam, retratado através de uma ilustração, durante o julgamento em Paris

reuters

No julgamento dos atentados de Bruxelas, Salah Abdeslam será julgado ao lado de outros quatro acusados pelos ataques em Paris: Mohamed Abrini, o sueco Osama Krayem, o tunisiano Sofien Ayari e o belga-marroquino Ali El Haddad Asufi

13 julho 2022 12:49

O francês Salah Abdeslam, já condenado em França, foi transferido hoje de uma prisão, em Paris, para a Bélgica, onde será julgado a partir de outubro pelos atentados em Bruxelas em março de 2016, disseram fontes à agência de notícias AFP.

O único membro vivo do grupo terrorista que matou 130 pessoas em Paris e Saint-Denis, em 13 de novembro de 2015, foi condenado em 29 de junho - após quase 10 meses de julgamento - a prisão perpétua pelo Tribunal Especial de Paris.

Salah Abdeslam, de 32 anos, não recorreu dessa decisão, tornando a sua condenação definitiva. O ‘jihadista’ tornou-se o quinto homem em França a ser condenado à prisão perpétua, a pena mais grave do código penal francês.

O francês - nascido na Bélgica, mas de origem marroquina - ficará detido numa prisão belga antes de iniciar uma nova maratona judicial a partir de 10 de outubro, com o julgamento dos ataques que mataram 32 pessoas em Bruxelas em 22 de março de 2016 – organizados pela mesma célula ‘jihadista’ do grupo Estado Islâmico que realizou os atentados de 13 de novembro.

No julgamento dos atentados de Bruxelas, Salah Abdeslam será julgado ao lado de outros quatro acusados pelos ataques em Paris: Mohamed Abrini, o sueco Osama Krayem, o tunisiano Sofien Ayari e o belga-marroquino Ali El Haddad Asufi. Estes acusados também foram transferidos para a Bélgica.

Salah Abdeslam foi detido na Bélgica em 18 de março de 2016, após vários meses em fuga.

Os atentados de 13 de novembro de 2015 em esplanadas de cafés e restaurantes, na sala de espetáculos Bataclan – durante um concerto da banda norte-americana Eagles of Death Metal – e junto ao estádio Stade de France – onde jogava a seleção francesa de futebol com a alemã – provocaram 130 mortos.