Internacional

Incêndio na Colômbia mata 49 detidos que tentaram fugir da prisão

29 junho 2022 9:06

49 detidos foram mortos e 30 ficaram feridos num incêndio que ocorreu após uma tentativa de fuga da prisão de Tulua, na Colômbia

anadolu agency

A tragédia ocorreu num pavilhão da prisão da cidade quando os detidos, aparentemente algemados, tentaram fugir

29 junho 2022 9:06

Pelo menos 49 detidos foram mortos e outros 30 ficaram feridos esta quarta-feira num incêndio que ocorreu após uma tentativa de fuga da prisão de Tulua, no sudoeste da Colômbia, anunciaram as autoridades.

A tragédia ocorreu num pavilhão da prisão da cidade quando os detidos, aparentemente algemados, tentaram fugir, explicou o general Tito Castellanos, diretor da administração penitenciária colombiana (Inpec).

"Infelizmente, ocorreu um motim na ala número oito da prisão de Tulua, onde estão detidos 1267 presos, com o lamentável resultado da morte de 49 pessoas", disse o general à rádio W.

Segundo o responsável, os presos morreram num incêndio que eles próprios provocaram.

Outras 30 pessoas estão "feridas e afetadas pelo fogo e pelo fumo", acrescentou, sem dar qualquer indicação dos presos que teriam fugido.

As autoridades disseram ter várias hipóteses, que vão desde uma "tentativa de fuga" até distúrbios causados ​​"para encobrir alguma situação".

O local atingido pelas chamas tinha 180 detidos que atearam fogo a colchões para tentar impedir a entrada da polícia.

Os agentes usaram extintores para apagar as chamas e ajudar os prisioneiros a sair.

"Caso contrário, os resultados teriam sido piores", disse o general Castellanos.

Alguns polícias ficaram feridos enquanto ajudavam os prisioneiros a sair do pavilhão, acrescentou.

O Presidente da República cessante, Ivan Duque, confirmou a tragédia, sem fazer uma avaliação.

"Dei instruções para avançar na investigação que explicará esta terrível situação. A minha solidariedade vai para as famílias das vítimas", disse Duque na rede social Twitter.

Atualmente, o sistema penitenciário da Colômbia é responsável por 97.426 presos, com superlotação de 16.251 ou 20%, segundo o Inpec.