Internacional

Itália ofereceu vírus da covid-19 à Rússia

26 junho 2022 18:55

Rossend Domènech

correspondente em Roma

getty images

Missão para ajudar a lidar com o embate inicial da pandemia terá servido para Moscovo obter informação científica

26 junho 2022 18:55

Rossend Domènech

correspondente em Roma

A 22 de março de 2020, quando Itália contava 80 mil contagiados e oito mil mortos pelo SARS-CoV-2, no aeroporto militar de Pratica di Mare, perto de Roma, aterraram 13 aviões russos. A bordo vinham 104 pessoas: 28 médicos, 4 enfermeiros e 72 militares especializados em guerra bacteriológica. O então primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, pedira ajuda a Vladimir Putin. A operação recebeu o nome de Da Rússia com Amor, como um dos romances de 007. E de espionagem se tratou, consentida e favorecida.

O que aconteceu nas semanas seguintes foi reconstruído pelo médico Andrea Casadio, antigo investigador da Columbia University e divulgador de temas científicos. Quis saber por que razão Itália renunciou a fabricar a primeira vacina mundial contra a covid-19, como divulgou no canal 3 da Rai. Ninguém o desmentiu.