Internacional

Isolados em Sievierodonetsk - o que se passou esta semana na Guerra da Ucrânia

17 junho 2022 19:32

Ana França

Ana França

Jornalista da secção Internacional

future publishing

As armas que Kiev exige parecem estar a demorar a chegar, mas NATO apresenta novo pacote de ajuda. A última ponte entre Sievierodonetsk e Lysychansk, no lado ocidental do rio Donets, foi destruída pelos russos - e tudo fica mais complicado para os dois exércitos

17 junho 2022 19:32

Ana França

Ana França

Jornalista da secção Internacional

Os combates mais violentos da guerra continuam a acontecer no leste, em particular dentro e à volta da cidade Sievierodonetsk. As evacuações de cidades sob bombardeamento são sempre caóticas e quase sempre perigosas, mas nesta as vias de fuga são cada vez menos depois de a última ponte entre Sievierodonetsk e Lysychansk, no lado ocidental do rio Donets, ter sido destruída por artilharia russa deixando os civis isolados e o exército ucraniano numa situação ainda mais delicada: sem uma ponte, a retirada de soldados feridos e o abastecimento dos que ainda estão a lutar exige outra logística.

Embora as autoridades ucrania­nas digam que as munições e mantimentos ainda estão a entrar e sair de Sievierodonetsk, o exército vai ter de começar a pensar mais seriamente no que fazer nesta região. As batalhas estão em cada esquina das ruas da cidade, as fotografias nas redes sociais e as reportagens que nos chegam mostram que quase não há um metro de terreno sem marcas de artilharia. Dentro da fábrica de produtos químicos Azot abrigam-se pelo menos 500 civis, entre os quais 40 crianças, segundo o governador ucrania­no da região de Luhansk. As autoridades separatistas apresentam outros números: dizem ser 1200 os “reféns” das forças ucranianas debaixo deste complexo industrial e acusam Kiev de não permitir a abertura de corredores humanitários para a sua retirada.