Internacional

Árabes classificam apelos para queimar o Corão na Suécia como “onda de ódio”

18 abril 2022 17:29

abdullah faraz/unsplash

Iniciativas do movimento de extrema-direita Stram Kurs (Linha Dura), considerado xenófobo e que defende a expulsão e imigrantes não europeus, levou alguns países árabes a pedir explicações às suas embaixadas da Suécia

18 abril 2022 17:29

Países e organizações árabes e islâmicas condenaram esta segunda-feira as concentrações islamófobas na Suécia para "queimar o Corão", classificando-as como uma "onda de ódio" e uma "provocação".

"A onda de ódio e intolerância na Suécia contra a nossa religião islâmica é rejeitada e considerada perigosa pela sua adoção de uma ideologia contrária aos princípios da convivência", declarou o conselheiro político do Presidente dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Anwar Gargash, na sua conta da rede social Twitter.

A Arábia Saudita, onde se situam os principais santuários islâmicos do mundo, também condenou "a ofensa intencional por um grupo de extremistas na Suécia", e o Ministério dos Negócios Estrangeiros saudita sublinhou em comunicado "a importância de concertar os valores do diálogo e da convivência e renunciar ao ódio, ao extremismo e à exclusão".

No mesmo sentido se manifestaram países como o Kuwait e o Qatar, defendendo, nos respetivos comunicados, a necessidade de "a comunidade internacional assumir a sua responsabilidade para travar essas ações" e "trabalhar numa solução para a controversa relação entre a liberdade de religião e credo e a de expressão".

Doha considerou os apelos à queima do Corão uma "incitação e uma provocação graves aos sentimentos de mais de dois mil milhões de muçulmanos no mundo".

Por sua vez, a Liga Islâmica Mundial, organização não-governamental (ONG) integrada por 57 países, classificou tais apelos como um "ato absurdo e vergonhoso".

No domingo, o Iraque e o Irão convocaram os embaixadores suecos nos respetivos países para protestar contra esta convocatória.

O apelo do movimento de extrema-direita sueco Stram Kurs (Linha Dura) a uma concentração na cidade de Malmö para uma "queima do Corão" supostamente simbólica derivou em distúrbios entre apoiantes do grupo e contramanifestantes.

O Linha Dura é um partido xenófobo e islamófobo marginal, que atua tanto na Dinamarca como na Suécia e que pretende a proibição do Islão e a expulsão dos imigrantes não-europeus.