Internacional

Alemanha desmantela maior rede global de vendas da 'darknet'

5 abril 2022 13:23

getty images

A Hydra Market, opera em língua russa desde 2015. Os investigadores suspeitam que serve para atividades criminosas como branqueamento de dinheiro através de "19 mil contas" disponíveis

5 abril 2022 13:23

A Hydra Market, "a maior plataforma global de vendas" na sub-rede 'darknet' a operar em língua russa desde 2015, foi desmantelada, tendo sido apreendidas bitcoins no valor de 23 milhões de euros, anunciou esta terça-feira a Justiça da Alemanha.

"Os servidores do maior mercado da sub-rede ('darknet') do mundo foram confiscados e 534 'bitcoins' (criptomoedas), no valor total de 23 milhões de euros, foram apreendidas", indica um comunicado conjunto da Procuradoria de Frankfurt e do Gabinete da Polícia de Investigação Criminal (BKA) da Alemanha.

A 'darknet' permite aceder a informação ou adquirir bens ou transacionar divisas de forma anónima, usando dados encriptados. Consiste em partes da internet que não são encontradas pelos motores de pesquisa populares ou pelos navegadores conhecidos. Caracteriza-se também pela sua invisibilidade e pela vocação ilegal ou criminal dos 'sites' que dela fazem parte, bem como dos utilizadores que lhe acedem.

Os investigadores alemães acreditam que a Hydra Market conta com 17 milhões de utilizadores (clientes) e suspeitam que serve para atividades criminosas como branqueamento de dinheiro através de "19 mil contas" disponíveis.

Pelo menos 1,23 mil milhões de euros foram realizados em vendas através da plataforma Hydra Market em 2020, tornando-se “o mercado ilegal com maior volume de negócios do mundo”, segundo o mesmo comunicado.

De acordo com as autoridades federais alemãs a plataforma domina o mercado porque a Ucrânia e a Rússia são os dois maiores utilizadores de criptomoedas do mundo.

O site em russo acessível através da rede Tor era usado principalmente para o comércio de estupefacientes, dados informáticos e documentos falsificados.

A BKA refere ainda que a plataforma desenvolveu um "serviço sofisticado", denominado "bitcoin bank mixer" e que foi usado para ocultar transações financeiras digitais com criptomoedas, dificultando muito a investigação.

As investigações começaram em 2021 e já levaram à detenção de 150 pessoas implicadas na compra de armas e de estupefacientes.

As autoridades alemãs já tinham desmantelado a plataforma "DarkMarket" no início de 2021, considera pelos investigadores como o ponto de venda "mais importante" para o mercado negro na sub-rede.

A operação durou alguns meses depois a uma repressão mundial que levou à prisão de cerca de 150 pessoas que estavam a comprar ou a vender drogas ou armas.