Internacional

Rússia tomará medidas caso a Finlândia e a Suécia integrem a NATO

25 fevereiro 2022 20:13

pool/getty images

A adesão da Finlândia e da Suécia à NATO teria “graves consequências militares e políticas”, e o Governo russo promete agir se isso acontecer

25 fevereiro 2022 20:13

O Governo russo vai tomar medidas caso a Finlândia e a Suécia adiram à NATO, garantiu, esta sexta-feira, uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

“Todos os países que fazem parte da OSCE [Organização para a Segurança e Cooperação na Europa], incluindo a Finlândia e a Suécia, concordaram que a segurança de alguns países não deve ser garantida à custa da segurança dos outros países. É evidente que a adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN [Organização do Tratado do Atlântico Norte, ou NATO] que é sobretudo um bloco militar, teria graves consequências militares e políticas, obrigando o nosso país a implementar medidas recíprocas”, afirmou María Zajarova, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, citada pelo “El País”.

Referindo-se especificamente à Finlândia, país que faz fronteira com a Rússia, a porta-voz afirmou que “o compromisso do Governo finlandês com uma político de não alinhamento militar é um fator importante para garantir a segurança e a estabilidade do norte da Europa”.

No início do ano, o presidente Finlândia, Sauli Niinistö, deixou em aberto a hipótese de o país pedir para aderir à NATO. Se for “oportuno”, assim o faremos, afirmou na altura. Para a Suécia, a adesão não é uma prioridade neste momento, mas a decisão de tomar esse passo “cabe exclusivamente ao país e não à Rússia”, sublinhou recentemente a ministra dos Negócios Estrangeiros sueca, Ann Linde.

A Suécia reforçou recentemente a presença de militares na ilha de Gotlândia, localizada no mar Báltico, por entender que se trata de um território particularmente vulnerável a um possível ataque russo.