Internacional

Israel terá em utilização novo sistema de laser antimísseis dentro de um ano

2 fevereiro 2022 8:44

O sistema será usado inicialmente em modo experimental, para ser adaptado operacionalmente, com o objetivo de a “médio e longo prazo” ter Israel “cercado por uma parede de laser” que defenda o país de “mísseis, ‘rockets’ e outras ameaças”

2 fevereiro 2022 8:44

O Exército de Israel vai começar a utilizar um sistema de laser avançado para intercetar mísseis e ‘drones’ no espaço de um ano, revelou na terça-feira o primeiro-ministro israelita, Naftali Benet.

Este conjunto de lasers para proteção antimísseis e dispositivos aéreos não tripulados [‘drones’] começará a ser usado na área em redor de Gaza, região onde enfrenta disparos esporádicos de ‘rockets’ por milícias palestinianas, e que levou a uma forte escalada do conflito em maio de 2021.

O sistema será usado inicialmente em modo experimental, para ser adaptado operacionalmente, com o objetivo de a “médio e longo prazo” ter Israel “cercado por uma parede de laser” que defenda o país de “mísseis, ‘rockets’ e outras ameaças”, referiu Naftali Benet durante a conferência anual do Instituto de Estudos de Segurança Nacional de Israel.

O chefe de governo salientou ainda que esta nova infraestrutura defensiva “também será capaz de apoiar parceiros” e enfraquecer o Irão.

Para Naftali Benet, os projetos de crescimento económico, tecnológico e de inovação de Israel podem ajudar a enfrentar os desafios mais pertinentes em todo o mundo e ser a ponte para aquela nação criar novas alianças, algo que considera estar já a suceder-se.

Desta forma, o conflito israelo-palestiniano, enquanto ainda decorre, “define muito menos” Israel do que antigamente, sustentou.

Em março, o Exército israelita lançou um sistema de morteiro guiado por laser e GPS para atingir alvos com maior precisão em terrenos abertos e ambientes urbanos.

Em junho, o Ministério da Defesa de Israel também intercetou com sucesso ‘drones’ através de um poderoso sistema de laser instalado em aeronaves leves, com uma taxa de sucesso de 100%. Este equipamento destina-se a ter um alcance efetivo de cerca de 20 quilómetros.

Estes novos sistemas servirão como um escudo adicional ao sistema de defesa militar já existente, Iron Dome, que intercetou grande parte dos milhares de ‘rockets’ disparados contra Israel por grupos armados palestinianos no conflito de Gaza em maio.

Cada abate de projéteis com o Iron Dome tem um alto custo económico, que atingiu biliões de dólares durante a última escalada do conflito, referiu Naftali Benet.

Mas a interceção de um míssil ou ‘rocket’ com o laser “custará apenas alguns dólares”, concluiu o primeiro-ministro.