Internacional

Detidos presumíveis autores do assassínio de dois polícias na Alemanha

31 janeiro 2022 19:46

FOTO: Thomas Lohnes/Getty Images

As forças policiais iniciaram as buscas após a morte de dois agentes, uma mulher e um homem, de 24 e 29 anos, respetivamente, enquanto faziam um controlo de trânsito

31 janeiro 2022 19:46

A polícia alemã deteve esta segunda-feira dois homens, de 38 e 32 anos, na região do Sarre (fronteira com França), por serem os presumíveis autores do assassínio de dois polícias, ocorrido durante a madrugada. Fontes policiais do Sarre informaram que as duas detenções aconteceram durante uma operação stop, horas depois de a imprensa ter divulgado o nome (Andreas Johannes Schmitt), a idade (38 anos) e fotografia de um dos suspeitos.

Foi ainda esclarecido que Schmitt tinha antecedentes criminais e licença de porte de armas, que vendia animais de caça e tinha uma padaria na região. De acordo com a polícia, presume-se que o suspeito agiu com outra pessoa, cuja idade só foi divulgada após ter sido detida. A rápida identificação do primeiro homem foi possível porque os seus documentos foram encontrados no local do crime.

As forças policiais iniciaram as buscas após a morte de dois agentes, uma mulher e um homem, de 24 e 29 anos, respetivamente, enquanto faziam um controlo de trânsito, às 3h20, numa estrada no estado da Renânia-Palatinado, vizinho do Sarre, junto à localidade de Ulmet. Os polícias mortos contactaram a central por rádio para comunicar que iriam verificar um automóvel, no qual encontraram, na mala, um animal de caça morto.

A mulher, que ainda estava na academia de polícia, não conseguiu usar a arma de fogo, segundo as investigações, tendo sido baleada na cabeça e morrido no local. O seu colega de patrulha foi capaz de comunicar o óbito pelo rádio. “Eles estão a disparar sobre nós”, disse, abrindo fogo de imediato, mas também foi alvejado na cabeça e morreu pouco depois.

A polícia acionou uma vasta operação de busca aos agressores. Supunha-se que havia dois suspeitos, um dos quais armados. Através das redes sociais, rádio e televisão, as autoridades pediram informações sobre a viatura em que fugiram e estenderam a busca aos estados vizinhos.

O crime causou grande consternação na Alemanha e mereceu a condenação de todo o espetro parlamentar, tanto da coligação de Olaf Scholz como dos principais partidos da oposição. A ministra do Interior, Nancy Faeser, definiu a morte dos polícias como uma “execução”.