Internacional

Egito: EUA vendem mais de €2 mil milhões em armas e retêm €130 milhões de ajuda militar

29 janeiro 2022 12:33

A exigência de que os direitos humanos sejam defendidos pelo Governo egípcio não impede venda de armamento militar

29 janeiro 2022 12:33

Dias após uma avultada venda de armas no valor de $2,5 mil milhões  (cerca de €2,25 mil milhões), o departamento de Estado dos Estados Unidos cancelou $130 milhões (o equivalente a €117 milhões) de ajuda militar ao Egito. Aquela instituição argumentou que o Egito não alcançara as condições necessárias para receber a ajuda, nomeadamente no que respeita o respeito pelos direitos humanos, e que a quantia seria re-encaminhada para outros programas, sem adiantar quais.  

Durante o anúncio que fez, o Departamento de Estado não mencionou a venda de armas no valor de €2,25 mil milhões, que incluia aviões de transporte militares (12 C-130 Super Hércules) e sistemas de radar, escreve a Aljazeera.  

O secretário de Estado, Antony Blinken, aprovou a entrega de $300 milhões (€269 milhões) de ajuda ao Egito, enquanto ficavam retidos outros $130 milhões com a condição de o Governo egípcio alterasse “condições específicas relacionadas com direitos humanos” até ao final de janeiro. 

A agência Associated Press (AP) citou responsáveis norte-americanos afirmando que a retenção da ajuda militar e a venda de armas realizada na passada terça-feira não estavam relacionadas uma com a outra. 

Nos últimos anos, o Egito tem perseguido os dissidentes pendendo milhares de pessoas. O país impôs o estado de emergência em abril de 2017, após as mortes provocadas por bombas e ataques aos cristãos coptas que fizeram mais uma de uma centena de vítimas. O estado de emergência permitiu que se fizessem prisões sem mandados de captura, perseguição de suspeitos e julgamentos especiais. Expirou em outubro de 2021 e, segundo o Presidente Abdel Fattah el-Sissi, não será renovado.