Internacional

Crise migratória. Tensão alivia, mas UE não abre portas

20 novembro 2021 14:58

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

Crianças, junto à vedação em arame que funciona como fronteira, observam agentes de segurança polacos destacados para a fronteira com a Bielorrússia

maxim guchek / reuters

Bruxelas nega negociações com Minsk, mas há contactos para repatriar migrantes a partir da Bielorrússia

20 novembro 2021 14:58

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

Angela Merkel pegou no telefone para falar com Alexander Lukashenko, e, horas depois, a Comissão Europeia anunciava “discussões técnicas” entre Minsk e as Nações Unidas para o repatriamento de migrantes. Era o início do desescalar da tensão nas fronteiras euro­peias, com a Bielorrússia a retirar centenas de pessoas de perto das vedações para um abrigo. Mas nem os telefonemas nem as “discussões” caíram bem na Estónia e na Lituânia, cujo ministro dos Negócios Estrangeiros considerou “perigoso” negociar com um ditador.