Internacional

Quatro toneladas de cocaína, com destino a Portugal, apreendidas na Holanda

31 outubro 2021 18:56

handout .

Droga estava escondida em sacos de soja e foi descoberta no porto de Roterdão pela alfândega holandesa. Segundo o Ministério Público dos Países Baixos, trata-se da maior apreensão do ano

31 outubro 2021 18:56

Mais de quatro toneladas de cocaína escondidas em sacos de soja, alegadamente destinadas a Portugal, foram descobertas no porto de Roterdão pela alfândega holandesa, tornando-se a maior apreensão do ano, anunciou este domingo o Ministério Público dos Países Baixos.

A droga, com um valor estimado de 313 milhões de euros, foi descoberta durante a noite de sábado para domingo a bordo de um contentor oriundo do Paraguai com destino a uma empresa em Portugal.

"Esta é a maior apreensão deste ano" na Holanda, disse um procurador à agência de notícias ANP.

Na semana passada foram feitas apreensões quase que diariamente no maior porto da Europa, que se tornou uma das principais portas de entrada de drogas, principalmente cocaína, no continente Europeu.

Em setembro, a polícia apreendeu, no mesmo porto, uma quantidade semelhante de cocaína, avaliada em 301 milhões de euros.

A Holanda e a Bélgica tornaram-se nos principais centros de tráfico de cocaína para a Europa, suplantando a Espanha, de acordo com um relatório da agência policial europeia Europol, publicado em setembro.

A crescente utilização do transporte de mercadorias em contentores, capitalizando as grandes capacidades dos terminais portuários de Antuérpia, Roterdão e Hamburgo "consolidaram o papel da Holanda como zona de trânsito", sobretudo de cocaína, específica o relatório.

Em 2020, as apreensões de cocaína em Antuérpia totalizaram 65,6 toneladas, de acordo com a Europol, e, em fevereiro de 2021, a Alemanha e a Bélgica fizeram uma apreensão recorde de 23 toneladas de droga escondidas em contentores marítimos.

Depois da canabis, a cocaína é a segunda droga mais usada na Europa Ocidental e Central, com as estimativas mais recentes a apontarem para 4,4 milhões de consumidores, em 2020, conclui o relatório.