Internacional

Colômbia capturou o maior traficante de droga depois da era Pablo Escobar

24 outubro 2021 10:29

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

Otoniel foi capturado nas montanhas numa operação conjunta entre a polícia e o exército. O clã do Golfo ficou sem líder

24 outubro 2021 10:29

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista

A captura de Dairo Antonio Úsuga, um homem de 50 anos, foi anunciada por, entre outras personalidades relevantes da sociedade colombiana, Ivan Duque, presidente da República, Diego Molano, ministro da Defesa e Francisco Barbosa, Procurador-geral da República.

"Otoniel", como é mais conhecido, liderava o Clã do Golfo, o maior cartel de tráfico de droga do país, e foi preso em Carepa, no noroeste do país, numa zona montanhosa perto da fronteira com o Panamá. Também foi fotografado, rodeado de militares armados com metralhadoras e a cara tapada com máscaras usadas para evitar o contágio de Covid 19 e, neste caso, a identificação pelo que resta do Clã do Golfo.

"Otoniel' é um dos líderes deste cartel, o maior exportador mundial de cocaína e que é formado por elementos de grupos paramilitares que se financiavam com a produção e tráfico de cocaína.

“Este é um golpe apenas comparável com a captura de Pablo Escobar”, entusiasmou-se Iván Duque. Escobar, o fundador e líder do cartel de Medellin teve menos sorte do que "Otoniel": foi morto a tiro pela polícia em 1993 numa operação para o capturar e a sua história está disponível na série Narcos.

Segundo o Presidente da República colombiano, "Otoniel" é responsável pela execução de polícias e militares que se dedicavam à luta contra o tráfico de droga. Um polícia de 34 anos morreu depois de ter sido baleado na operação que levou à captura do líder do clã do Golfo.

Os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de cinco milhões de dólares (cerca de 4,2 milhões de euros) pela captura de 'Otoniel'.

Segundo o grupo de reflexão independente Indepaz, o 'Clã do Golfo' está presente em cerca de 300 municípios da Colômbia. E de acordo com o ministro da Defesa, o grupo cobrava impostos aos camponeses que viviam nas áreas que controlavam e obrigavam-nos a trabalhar para o cartel.

O grupo cresceu graças a exportação via marítima de droga quer para os Estados Unidos, quer para a Europa.

Esta semana, a PJ apreendeu um veleiro com 5,2 toneladas de cocaína a 300 milhas náuticas da costa de Portugal. A droga vinha da Colômbia.