Internacional

Documentos obtidos pela Human Rights Watch revelam “abusos chocantes” contra requerentes de asilo

21 outubro 2021 19:43

david mcnew/getty images

Após uma luta legal de seis anos, a organização obteve documentos em que são relatados mais de 160 casos. A normalização dos abusos por parte dos oficiais nas fronteiras resulta evidente, acusa a Human Rights Watch

21 outubro 2021 19:43

A Human Rights Watch (HRW) denunciou uma série de casos chocantes de abuso sofridos por requerentes de asilo na fronteira sul dos Estados Unidos às mãos de oficiais federais. As situações são descritas em documentos a que a organização teve acesso após uma disputa legal de anprolongada, até obter informações do Departamento de Segurança Interna.

Seis anos depois, os documentos libertados revelam diferentes tiopos de abuso, que incluem uma agressão sexual a uma criança, fome forçada, ameaças de violação e condições desumanas de detenção

São mais de 160 casos, adianta o “The Guardian”, registados entre 2016 e 2021 e ocorridos sob a alçada de agências governamentais como a Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) e a Patrulha de Fronteira dos EUA.

Para a HRW, o teor da informação obtida aponta para uma “ normalização ” dos abusos na fronteira, pelo que o país deve “tomar medidas urgentes e sustentadas” para os impedir.

Um dos casos aparece relatado por um supervisor em São Francisco, onde foi entrevistada uma criança que tinha sido “ molestada sexualmente por alguém que acreditamos ser do CBP ou oficial de patrulha de fronteira”. Segundo o relato, “a jovem foi forçada a despir-se e depois tocada inadequadamente por um guarda vestido com uma farda verde”.

Noutro relatório é descrito um incidente ocorrido em 2018, quando um requerente de asilo foi detido e levado para um centro de detenção em San Ysidro, Califórnia. Um agente propôs-lhe a libertação em troca de sexo e, quando o detido recusou, o homem foi ofendido em inglês e avisado de que “seria preso como castigo”.

As acusações de maus-tratos aos migrantes e requerentes de asilo que tentam entrar nos Estados Unidos não são de agora. São visados os agentes federais que operam ao longo da fronteira mexicana, e já muito foi dito sobre as condições – ou a falta delas – dos centros onde os migrantes são deixados. Mas os documentos agora obtidos detalham a forma como esses abusos são cometidos e descrevem as várias formas usadas para vedar os requerentes de asilo ao direito a um processo.

Há suspeita de agentes federais manterem atividades criminosas e indícios de 27 casos em que os requerentes de asilo foram impedidos de apresentar queixas ou obrigados a assinar papéis que não conseguiam compreender, escreve o “The Guardian”.