Internacional

Polícia não exclui possibilidade de ato terrorista no homicídio de deputado britânico

15 outubro 2021 18:50

anadolu agency/ getty images

Deputado britânico David Amess morreu após ter sido esfaqueado várias vezes esta sexta-feira na Igreja Metodista de Belfairs

15 outubro 2021 18:50

A Polícia de Essex não exclui que a possibilidade de o homicídio do deputado britânico David Amess ter sido um ato terrorista. Aos jornalistas, aqui citado pela “Sky News, o chefe daquele organismo policial confirmou que a investigação está a ser liderada pela unidade de contraterrorismo.

As autoridades acreditam que o homem que esfaqueou e matou o deputado conservador agiu sozinho. No entanto, lembra ainda a polícia de Essex, é preciso “manter a mente aberta” relativamente à motivação do atacante.

Na mesma conferência de imprensa, algumas horas após o ataque, o chefe da polícia, Ben-Julian Harrington, assegurou ainda que as autoridades chegaram ao local “em poucos minutos” e que responderam “de imediato” quando receberam o alerta. Ao chegarem, polícia e pessoal médico encontraram David Amess já “com múltiplos ferimentos”.

“Foi esfaqueado dezenas de vezes”, disse Harrington, garantindo também que foi feito um trabalho “extremamente árduo” para tentar salvar o deputado.

Entretanto, o Ministério do Interior britânico já pediu à polícia para reavaliar “imediatamente” os protocolos de segurança de todos os deputados. “Esta tarde, a ministra do Interior [Priti Patel] presidiu a uma reunião com a polícia e com os serviços secretos e de segurança para discutir o trágico incidente em Southend e a resposta que está a ser dada”, disse um porta-voz, citado pelo jornal “The Guardian”.

O deputado David Amess, 69 anos, morreu após ter sido esfaqueado várias vezes esta sexta-feira na Igreja Metodista de Belfairs, em Leigh-on-Sea, no sueste de Inglaterra. O ataque aconteceu enquanto o político estava em audiências com eleitores do círculo de Southend West, os quais representava na Câmara dos Comuns. Ainda recebeu assistência no local mas não resistiu aos ferimentos. O atacante, cuja identidade é desconhecida e que se encontra detido, entrou no local onde o deputado realizava as audiências públicas, um costume enraizado na vida parlamentar britânica.