Internacional

“Epidemia de sequestros” na Nigéria: mais de 1000 crianças raptadas por grupos armados este ano

10 agosto 2021 22:18

kola sulaimon / getty images

Sequestros verificaram-se no norte da Nigéria, onde as autoridades acreditam que existam mais de 3.000 pequenos gangues responsáveis pelos raptos

10 agosto 2021 22:18

Mais de mil alunos foram raptados este ano na Nigéria, dos quais 200 continuam desaparecidos. As escolas do norte do país tornaram-se alvos principais de grupos criminosos. A população fala de uma “epidemia de sequestros”, escreve o “The Guardian”.

Muitas das vítimas são crianças em idade escolar e o número de vítimas ultrapassa já os 300 estudantes sequestrados em 2014 pelo grupo radical islâmico Boko Haram.

As comunidades locais apontam uma "surpreendente falta de segurança” nas escolas e dizem que o norte da Nigéria se tornou num “refúgio” para gangues sequestradores.

No passado mês de maio, a filha de 16 anos de Danboye Bege foi um dos 128 alunos sequestrados enquanto se preparavam para os exames na Escola Batista Bethel, na região de Kaduna. E só na semana passada é que este pai voltou a rever a filha, quando 27 estudantes foram libertados pelos criminosos, depois de as famílias terem aceitado pagar os pedidos de resgate.

“Vendi todos os meus pertences. Vendi a nossa casa, um terreno que adquiri… Tive de o fazer para pagar a libertação da minha filha”, conta Danboye Bege, citado pelo Guardian.

“A minha filha está agora a recuperar-se e está forte, em todos os sentidos”, acrescenta o pai da aluna sequestrada.

As autoridades nigerianas acreditam que na região existem mais de 3 mil pequenos gangues que levam a cabo estes sequestros, instalando um clima de medo permanente nas populações. Os criminosos operam a partir das florestas onde se refugiam e orquestram raptos em massa em cidades e zonas rurais.

Acredita-se que muitos dos membros destes grupos armados são de etnia Fulani, com uma sociedade muçulmana culturalmente organizada em pequenos grupos de pastores nómadas.