Internacional

Inglaterra aprova teste de anticorpos do coronavírus

14 maio 2020 11:17

Pedro Cordeiro

Pedro Cordeiro

Editor da Secção Internacional

O teste aos anticorpos do coronavírus é feito a partir de uma análise ao sangue

shannon stapleton/reuters

Governo do Reino Unido negoceia com a Roche compra em massa de kits. Saber quantos cidadãos foram infetados pode ajudar na procura da vacina e tratamento

14 maio 2020 11:17

Pedro Cordeiro

Pedro Cordeiro

Editor da Secção Internacional

As autoridades de saúde de Inglaterra aprovaram um tete de anticorpos do coronavírus SARS-CoV-2 que pode ajudar a determinar que porção da população já foi contaminada pelo coronavírus SARS-CoV-2. O Governo britânico já encetou negociações com a Roche, empresa fabricante, para produzir milhões de kits, escreve o jornal londrino “The Daily Telegraph”. A farmacêutica suíça afirmou, quarta-feira à noite, estar pronta para produzir em larga escala o teste, que tem aprovação americana e europeia.

“É um ensaio altamente específico com uma especificidade de 100%”, afirmou John Newton, coordenador do programa de testes ao coronavírus do Reino Unido, que rejeitara vários testes do mesmo tipo anteriormente. O teste, feito a partir de amostras de sangue colhidas por profissionais de saúde pelo menos 14 dias após o doente sofrer de covid-19, não confunde os anticorpos do SARS-CoV-2 com os de outros vírus.

Os cientistas creem que as pessoas cujos corpos produzem anticorpos após infetadas poderão ficar imunes a novo contágio. “É um marcador muito fiável de infeção passada. Isto, por sua vez, pode indicar alguma imunidade a infeção futura, embora esteja por clarificar até que ponto presença de anticorpos indica imunidade”, diz Newton. Também não se sabe quanto tempo dura essa imunidade.

300 testes por hora, resultados em 18 minutos

“É uma notícia mesmo boa. Dar-nos-á uma ideia muito melhor de quantas pessoas foram infetadas e esse número dir-nos-á quantas pessoas estão vulneráveis a uma segunda vaga”, afirmou ao jornal britânico James Naismith, professor da Universidade de Oxford. Isso será um guia importante à medida que o país aligeira as medidas de confinamento. O primeiro-ministro Boris Johnson quer testar 200 mil pessoas por dia.

Uma vantagem do teste da Roche é poder ser feito com equipamento que os hospitais já possuem. A firma prevê que seja possível realizar 300 testes por hora, demorando os resultados 18 minutos. “The Guardian” escreve que o teste será útil para perceber quantas pessoas foram contaminadas e não desenvolveram sintomas, pois essa população é considerada interessante na procura de vacinas e tratamentos.