Internacional

Harry e Meghan não abdicam dos títulos reais mas querem “ser financeiramente independentes da rainha”

8 janeiro 2020 19:06

facundo arrizabalaga

Duques de Sussex querem dividir o tempo entre o Reino Unido e os EUA. Em breve, vão lançar uma nova organização de solidariedade

8 janeiro 2020 19:06

Harry e Meghan Markle vão afastar-se da família real britânica e passar mais tempo nos Estados Unidos - não deixando completamente o Reino Unido. Num comunicado, os duques de Sussex anunciaram que querem tornar-se “financeiramente independentes” da rainha e trabalhar.

“Escolhemos fazer este ano uma transição e começar progressivamente um novo papel desta instituição. Temos o objectivo de nos afastarmos como ‘membros seniores’ da família real e começar a trabalhar sermos financeiramente independentes, enquanto continuamos a apoiar completamente a Sua Majestade”, pode ler-se no comunicado divulgado após “muitos meses de reflexão e discussão interna”.

A ideia do casal é dividirem-se entre o Reino Unido e os Estados Unidos, não deixando de “honrar o dever” para com a rainha e a Commonwealth. “Este equilíbrio geográfico vai permitir-nos criar o nosso filho num ambiente de gratidão pela tradição real em que nasceu, enquanto ao mesmo tempo dá espaço à nossa família para se focar num novo capítulo, incluindo o lançamento da nossa organização de caridade.”

Ou seja, os duques mantêm o títulos reais escolhem perder algum destaque enquanto membros da família.

Instagram

Agora, há distância de alguns dias e com este anúncio, há um detalhe na tradicional mensagem de Natal da rainha que ganha importância: a ausência de uma fotografia de Harry, Meghan e Archie.

Entre as várias fotografias no cenário onde gravou a mensagam, estavam imagens do seu pai (Jorge VI), o príncipe Carlos e a mulher Camilla, William, Kate e os filhos. A estas juntavam-se ainda um retrato do príncipe Filipe, seu marido, assim como uma da própria chefe de Estado com os astronautas da Michael Collins, Neil Armstrong e Edwin "Buzz" Aldrin da Apollo 11. A imagem, captada no Palácio de Buckingham, em 1970, foi uma escolha de Isabel II numa altura em que se comemoram 50 anos da chegada à Lua.

Na altura, foi explicado a ausência de Harry e da família por não fazerem parte da linha direta de sucessão dentro dos Windsor.

No final do ano passado, os duques de Sussex avançaram com um processo contra dois dois tabloides por alegadas escutas telefónicas ilegais, os jornais “Sun” e “Mirror”. A decisãoo reforçou a luta de Harry contra os tabloides britânicos, que têm escrutinado detalhes intimos da ex-atriz. Dias antes, Meghan Markle também processou o “Mail” por suposta violação de direitos autorais e outras violações civis, depois de este jornal ter publicado uma carta que a duquesa escreveu ao pai.

A 06 de maio do ano passado nasceu o primeiro filho do casal. Desde então, o escrutínio mediático em torno da família aumentou e o casal chegou mesmo a falar publicamente sobre a dificuldade de pertencer à família real, de ser pai e mãe assim como em lidar com a imprensa. Durante o Natal, os duques fizeram uma pausa nos compromissos e voaram até ao Canadá para umas férias.

Harry tem 35 anos e Meghan 38, casaram-se em 2018 depois de se terem conhecido através de amigos em comum. O filho do príncipe Carlos e Diana Spencer é o sexto na linha de sucessão ao trono. O primeiro é o seu pai, seguem-se o irmão mais velho, William (duque de Cambridge), e os três sobrinhos: George, Charlotte e Louis.