Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA. Democratas e republicanos chegam a acordo de princípio para evitar novo “shutdown”

Sandy Huffaker / Getty Images

Entendimento incluirá 1,375 mil milhões de dólares para barreiras físicas, um valor bastante inferior aos 5,7 mil milhões que Trump tem pedido, e contemplará a redução em quase nove mil do número de migrantes indocumentados que podem ser detidos. “Nunca assinarei um projeto de lei que force a libertação em massa de criminosos violentos”, garante Trump

Democratas e republicanos chegaram, esta segunda-feira, a um acordo de princípio sobre segurança na fronteira para financiar o Governo dos EUA e evitar outra paralisação parcial. O acordo foi fechado numa reunião à porta fechada em Washington e ainda não se conhecem os detalhes do entendimento.

Após várias horas de negociações, o senador republicano Richard Shelby anunciou que todas as questões pendentes tinham sido resolvidas. “Conseguimos um acordo sobre tudo”, disse, acrescentando que os membros da equipa trabalhariam nos detalhes nos próximos dias.

Um projeto de lei tem de se aprovado até sexta-feira, o dia em que acaba o financiamento para algumas agências federais. O “shutdown” anterior, o mais longo da história americana, durou 35 dias. A 25 de janeiro, o Presidente dos EUA, Donald Trump, concordou com um plano de gastos durante três semanas para acabar com a paralisação e permitir que o Congresso chegasse a um acordo.

“Vamos construir o muro de qualquer maneira”

As negociações estavam bloqueadas na detenção de migrantes sem documentos e no financiamento para o muro de fronteira que Trump exige. Na segunda-feira, o Presidente não esclareceu se apoiaria o acordo entretanto alcançado. “Vamos construir o muro de qualquer maneira”, disse a apoiantes em El Paso, no Texas. Não tendo tido ainda tempo para estudar o acordo, Trump limitou-se a garantir que nunca assinará “um projeto de lei que force a libertação em massa de criminosos violentos”.

Os media americanos avançam que o acordo inclui 1375 mil milhões de dólares (1217 mil milhões de euros) em financiamento para barreiras físicas, um valor bastante inferior aos 5700 milhões de dólares (5000 milhões de euros) que Trump tem pedido. Os democratas pretendiam limitar o número de migrantes indocumentados que poderiam ser detidos pela agência de imigração e fiscalização aduaneira. Acordou-se reduzir esse número dos atuais 49.057 para 40.250, revelam os media.

11 mil milhões: o custo do último “shutdown”

A construção do muro ao longo da fronteira com o México foi uma das principais promessas da campanha de Trump em 2016. O Presidente recuou na exigência de obrigar as autoridades mexicanas a pagarem pelo muro de cimento. No entanto, no discurso sobre o Estado da União na semana passada, insistiu numa “barreira de aço inteligente, estratégica e transparente”.

Trump já ameaçou declarar emergência nacional e financiar o muro sem o Congresso. Mas a ideia não colhe nem mesmo junto de alguns congressistas republicanos e seria contestada em tribunal pelos democratas. Foi o diferendo relativamente ao financiamento do muro que provocou o mais recente “shutdown”, cujo custo para a economia americana foi estimado em 11 mil milhões de dólares (9,7 mil milhões de euros).