Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Afeganistão. Secretário interino da Defesa dos EUA em visita-surpresa para acelerar processo de paz com talibãs

SYLVIE LANTEAUME/AFP/Getty Images

“É importante que o Governo afegão esteja envolvido nas discussões sobre o Afeganistão”, disse Patrick Shanahan. O responsável tem um encontro agendado com o Presidente do país, cujo Governo não fez parte das conversações do mês passado. Os talibãs recusam-se a negociar diretamente com Ashraf Ghani, que apelidam de “marioneta” do Ocidente

O Secretário interino da Defesa dos EUA, Patrick Shanahan, chegou esta segunda-feira ao Afeganistão numa visita-surpresa para acelerar as negociações de paz com os talibãs. Shanahan tem um encontro agendado com o Presidente do país, Ashraf Ghani, cujo Governo não fez parte das conversações do mês passado entre as delegações americana e dos talibãs com vista ao fim de um conflito com mais de 17 anos.

“É importante que o Governo afegão esteja envolvido nas discussões sobre o Afeganistão”, disse o dirigente interino, acrescentando que Washington tem importantes interesses de segurança na região e quer ouvir os comandantes no terreno. Shanahan substituiu Jim Mattis, que se demitiu em dezembro por causa de divergências com o Presidente dos EUA, Donald Trump.

Os talibãs recusam-se a negociar diretamente com o Governo de Ghani, que apelidam de “marioneta” do Ocidente. No entanto, os aliados de Ghani em Washington insistem que devem ser os afegãos a liderar o processo de paz.

Retirada das tropas americanas no centro da polémica

As autoridades de Cabul estão preocupadas com o caos que a retirada das quase 14 mil tropas americanas no país poderá provocar. Já os talibãs querem ver todas as tropas americanas fora do Afeganistão, colocando a sua retirada no topo das suas exigências à mesa das negociações. Shanahan revelou que, até ao momento, não recebeu qualquer orientação para reduzir as tropas no país.

Apesar de as negociações com os talibãs estarem num estágio inicial, o enviado especial da Administração Trump para as negociações de paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad, espera que um acordo seja fechado até julho. Nessa altura, deverão realizar-se eleições presidenciais no país.

Desde que foi nomeado em setembro, Khalilzad fez várias rondas de negociações com os talibãs e outros representantes regionais no Afeganistão, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Índia, Paquistão, Qatar, Rússia, Turquemenistão e Uzbequistão. As conversações mais recentes decorreram em Doha. Washington quer garantias de que o Afeganistão não abrigará grupos que usem o território como base para lançar ataques contra os EUA. A próxima ronda negocial, que voltará a ser no Qatar, está marcada para 25 de fevereiro.