Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente da China espera que homólogos norte-coreano e americano “se encontrem a meio do caminho”

SeongJoon Cho/Bloomberg/Getty Images

Pequim apoia “a resolução das preocupações legítimas das partes relevantes [Washington e Pyongyang] através do diálogo”, acrescentou Xi. O Presidente chinês aceitou um convite para visitar a Coreia do Norte mas não é ainda claro quando acontecerá a deslocação. Também não se sabe quando ou onde poderá acontecer a segunda cimeira Kim-Trump

O Presidente chinês, Xi Jinping, espera que os seus homólogos da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e dos EUA, Donald Trump, “se encontrem a meio do caminho”. A declaração, divulgada esta quinta-feira pela agência de notícias chinesa Xinhua, surge no final de uma visita de Kim à China que terá coincidido com o seu 35.º aniversário.

Pequim apoia a realização de cimeiras entre Washington e Pyongyang e “a resolução das preocupações legítimas das partes relevantes através do diálogo”, acrescentou Xi. Kim e Trump encontraram-se pela primeira vez em junho do ano passado mas o processo relativo à desnuclearização da península coreana está paralisado desde então.

A China, que é o principal aliado e parceiro comercial da Coreia do Norte, também se mostrou disposta a desempenhar “um papel positivo e construtivo” com vista à paz e à desnuclearização.

Um banquete, uma performance e um convite

No ano passado, ainda antes de se encontrar com o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e com Trump, Kim realizou aquela que terá sido a sua primeira viagem oficial, fora da Coreia do Norte, à China. Durante a sua mais recente visita ao país, a quarta em menos de um ano, Kim e a sua esposa, Ri Sol-ju, foram recebidos por Xi e respetiva esposa com um banquete e uma performance artística.

Xi aceitou um convite para visitar a Coreia do Norte mas não é ainda claro quando acontecerá a deslocação.

A questão das sanções contra Pyongyang

No seu discurso de Ano Novo, Kim afirmou que continua comprometido com a desnuclearização mas alertou que a sua posição poderá mudar se as sanções dos EUA continuarem. Segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, a China apoia a posição de Pyongyang. “Xi Jinping disse que as questões levantadas pela Coreia do Norte são exigências legítimas e que concorda plenamente que os interesses razoáveis da Coreia do Norte devem ser resolvidos justamente”, revelou.

Ainda não se sabe quando ou onde poderá acontecer a segunda cimeira Kim-Trump, que se seguirá ao encontro histórico em Singapura no ano passado. No entanto, o Presidente sul-coreano, que tem desempenhado um papel de mediador entre Pyongyang e Washington, disse que estará para breve, afirmando ainda que Seul irá cooperar com os EUA para resolver a questão das sanções contra a Coreia do Norte.