Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irão reconhece que antigo militar dos EUA está detido no país

Apesar de permanecerem por esclarecer as circunstâncias da prisão de White, no passado o Irão utilizou a detenção de ocidentais e cidadãos com dupla nacionalidade como um argumento para as negociações

O Irão confirmou nesta quarta-feira que Michael R. White, veterano da Marinha dos Estados Unidos, está preso no país, sendo o primeiro norte-americano conhecido a ser detido no decurso da administração do Presidente Donald Trump. A prisão de White soma uma nova pressão às crescentes tensões entre o Irão e os Estados Unidos, e quando Trump optou por desencadear uma agressiva campanha contra Teerão que incluiu a sua retirada do acordo nuclear entre Teerão e as potências mundiais.

Apesar de permanecerem por esclarecer as circunstâncias da prisão de White, no passado o Irão utilizou a detenção de ocidentais e cidadãos com dupla nacionalidade como um argumento para as negociações.

A agência noticiosa semioficial Tasnm, considerada próxima da formação paramilitar de elite Guardas da Revolução, confirmou a informação ao citar o porta-voz do ministério dos Negócios Estrrangeiros, Bahram Ghasemi. "Há algum tempo foi detido um cidadão americano na cidade de Mashhad e o seu caso foi reportado à administração dos EUA nos primeiros dias" da sua detenção, referiu Ghasemi citado pela agência.

A mãe de White, citada pelo New York Times (NYT), disse que foi informada há três semanas da prisão do seu filho, que se encontrava vivo e mantido numa prisão iraniana. A sua detenção foi inicialmente divulgada por um serviço de notícias 'online' de expatriados iranianos que entrevistaram um antigo prisioneiro iraniano que disse ter-se cruzado com White em outubro na prisão Vakilabad, em Mashhad.

O Departamento de Estado dos EUA disse estar ao corrente das informações sobre a prisão de um cidadão norte-americano, mas não emitiu mais comentários.

Joanne White, mãe do veterano da Marinha detido, referiu ainda ao NYT que o seu filho se deslocou ao Irão para visitar a sua namorada e marcou um voo de regresso a San Diego em 27 de julho, via Emirados Árabes Unidos. De seguida, preencheu um relatório sobre pessoas desaparecidas no Departamento de Estado após a ausência de White desse voo. Acrescentou ainda que o seu filho estava a receber tratamento por um cancro no pescoço e sofre de asma.