Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Espanha investigou em 2018 vinte casos de agressões sexuais em grupo

Marcos del Mazo/Getty

Casos aconteceram um pouco por todo o território, envolvendo um tipo de crime cujo processo mais mediático ficou conhecido pelo caso de “La Manada”, ocorrido em Pamplona, há mais de dois anos

O caso continua a ser um dos mais mediáticos em Espanha, atravessando fronteiras, mas as agressões sexuais de que foi vítima uma jovem de 18 anos em Pamplona, em julho de 2016, às mãos do grupo que ficou conhecido como “La Manada”, estão longe de configurar um crime isolado no país.

Segundo um relatório da Geovigilância, citado pelo “El Mundo”, pelo menos vinte casos semelhantes foram investigados no território espanhol, só em 2018. Situações com contornos diferentes, mas que em comum têm o facto de envolverem jovens abusadas por mais do que um indivíduo, seus conhecidos ou não.

Uma das denúncias foi apresentada por uma rapariga de 18 anos, que disse ter sido drogada e violada por quatro homens, cuja identidade não conseguiu estabelecer. Aconteceu em Pola de Lena, nas Astúrias, enquanto num outro caso, em Alicante, dez jovens foram detidos por agredir três menores que tinham fugido de um centro de acolhimento.

Um dos casos investigados no ano passado envolveu apenas menores. Cinco rapazes coagiram uma menina de 12 anos, ameaçando difundir fotografias dela nua, caso não mantivesse relações sexuais com eles.

A semelhança de um outro caso com os relatos de Pamplona levou a que ficassem conhecidos como a Nova Manada, os cinco homens (um dos indivíduos era menor de idade) que em Las Palmas violaram uma menor na noite de São João. Os agressores também gravaram o ataque com os seus telemóveis.

A imprensa espanhola publicou ainda duas notícias de mulheres deficientes agredidas sexualmente, depois de serem raptadas - uma à porta de uma discoteca e outra na rua, em Bilbao e Collado Villalba, respetivamente.

A visibilidade destes casos contribuiu para que o tema gerasse um intenso debate social, agitando a sociedade espanhola. O desfecho do processo da Manada, com os acusados a serem levados a tribunal com acusações de abuso sexual e não pelo crime de violação, foi particularmente polémico, dividindo até os juízes do processo.

Já em 2019, dois novos casos fizeram soar novos alertas. Um deles aconteceu precisamente na noite da passagem de ano, em Burriana, e teve por vítima uma jovem de 17, abusada por dois homens, atualmente presos, sem fiança.