Projetos Expresso

O museu do futuro que preserva memórias

20 janeiro 2023 10:22

Fátima Ferrão

Em Videmonte, usa-se o forno comunitário para cozer o pão tradicional. O queijo é produzido pela pastora e queijeira Alcina (à direita)

octávio passos

Rede comunitária: a partir de junho, nas aldeias de Cabeça, Videmonte e Alvoco das Várzeas será possível viver as tradições locais numa experiência que é, em simultâneo, real e virtual

20 janeiro 2023 10:22

Fátima Ferrão

Ofrio de janeiro, que gela os ossos e convida ao recato junto da lareira, não impediu Cristina e Tia Lucília, habitantes de Videmonte, concelho da Guarda, de sair à rua para preparar o forno comunitário para mais uma fornada de pão, amassado “à moda antiga”. Às duas juntou-se Alcina Correia, pastora e queijeira da terra. Estes encontros repetem-se frequentemente. Os habitantes locais aproveitam o espaço comum para, entre uns dedos de conversa, reforçarem os laços e preservarem as memórias das tradições de outros tempos. Uma experiência valorizada pelos visitantes, mas igualmente determinante para os cerca de mil habitantes daquela aldeia de montanha, que assim mantêm vivas atividades típicas da região que correm o risco de perder-se na modernidade.

E é precisamente para que não se dissipem e para que continuem a lembrar-se pessoas e costumes da terra que surgirá ainda este ano o Museu do Futuro das Aldeias de Montanha 5.0, uma iniciativa da ADIRAM — Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha e um dos projetos-piloto distinguidos em 2022 pelo Programa Promove, uma parceria entre a Fundação “la Caixa” e a Fundação para a Ciência e Tecnologia. Segundo Célia Gonçalves, coordenadora do projeto Rede de Aldeias de Montanha, o novo museu será “uma forma de materializar a identidade destas aldeias, para que não se percam as tradições, as dinâmicas e também as memórias”.

O investimento totaliza €199 mil, dos quais 75% são apoiados pelo Programa Promove. Numa primeira fase, o projeto-piloto do Museu do Futuro envolve as aldeias de Cabeça, Videmonte e Alvoco das Várzeas, mas, como explica Célia Gonçalves, o objetivo passa por alargar a outras aldeias da rede espalhadas por nove municípios, gerando sinergias regionais, e uma futura replicação transfronteiriça. “Estamos a trabalhar com um parceiro espanhol neste sentido”, salienta.

Experiência imersiva e multimédia

Para já, o projeto está na fase de produção e de implementação da plataforma digital que oferecerá experiências de realidade virtual com ligação à experiência física. Ou seja, como explica a coordenadora, numa visita a qualquer destas aldeias será possível em alguns locais — através de touchpoints com QR Code que podem ser lidos por qualquer smartphone — ver e ouvir histórias, dinâmicas e tradições contadas pela boca dos habitantes mais antigos. “Será feita uma articulação entre recursos culturais, naturais, artesanais e uma visão para o futuro através de realidade virtual e aumentada.”

Outras tecnologias, como blockchain e NFT, contribuirão igualmente para a preservação do património local e para revitalizar o território e as comunidades locais, “aumentando a atratividade para novos residentes, empreendedores e massa crítica”, complementa Célia Gonçalves. A coordenadora destaca ainda as oportunidades que esta experiência híbrida digital proporcionará, nomeadamente ao gerar “produtos e serviços turísticos sustentáveis e inovadores e dinamizando a economia”.

Mas a tradição e a inovação andam de mãos dadas também em Alvoco das Várzeas. Aqui, um conjunto de senhoras — ‘guardiãs das tradições’ — recupera o cancioneiro local, as artes das rendas e dos bordados e outras tradições que convivem lado a lado com a inovação que se respira nos espaços de cowork, outro dos projetos da ADIRAM para a recuperação e preservação destas aldeias, sendo a primeira rede em ambiente de aldeia. “A tradição e a cultura invadiram estes espaços de trabalho, que, em simultâneo, são uma montra da materialização da identidade destas aldeias.”

Atualmente existem três espaços de cowork, em Videmonte, Alvoco da Várzeas e Lapa dos Dinheiros, mas, como explica Célia Gonçalves, juntar-se-ão mais dois em breve, em Alpedrinha e Folgosinho. Este último será, contudo, um pouco diferente, uma vez que incluirá um laboratório de cozinha onde será possível realizar experiências culinárias com produtos endógenos da região. No entanto, em comum todos terão elementos identitários do local onde se inserem, replicando o que já existe em Alvoco das Várzeas. Em pleno espaço de trabalho há pufes feitos em burel (tecido 100% fabricado com lã de ovelha, de origem medieval), abat-jours de renda e um conjunto de elementos decorativos em bordado regional.

A calma da região tem atraído trabalhadores remotos nacionais e internacionais, que por ali permanecem dias, semanas ou meses. Esta iniciativa dinamizou a abertura de um conjunto de novos espaços de Alojamento Local, que recebem estes visitantes, assim como trouxe uma nova vida à economia local.

Projetos que deve conhecer

Investigação e Ciência

Regenerar para tratar

Inovação Atrasar o desenvolvimento da esclerose múltipla e parar a doença que afeta cerca de oito mil portugueses é o objetivo do trabalho da investigadora Ana Mendanha Falcão na Escola de Medicina da Universidade do Minho, que recebeu uma bolsa de três milhões de euros da Fundação “La Caixa”.

Educação

Navegar em segurança

Literacia Evitar os perigos da internet e prevenir e acompanhar potenciais situações de dependência online é o propósito do projeto SafeWeb 2.0, desenvolvido pela Associação Pro-Branca, em Albergaria-a-Velha. Mais de duas mil crianças e respetivas famílias já estão envolvidas.

Mais Esperança

CTRL + ALT + Emprego

Inclusão Projeto apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian que visa ajudar mais de 500 migrantes e refugiados na procura de emprego. Trata-se de uma plataforma formativa que apoia também a aprendizagem da língua e da cultura e reforça as competências de literacia digital.

Artes

Palco às emoções

Teatro Falar sobre saúde mental e melhorar o bem-estar e a qualidade de vida através da expressão dramática é o objetivo da Jangada d’Emoções, que junta mulheres com perturbações psicológicas residentes em dois bairros da freguesia de Algueirão-Mem Martins no projeto SenteMente.

Apoio Social

Medicamentos grátis

30 mil Número de pessoas que, desde 2015, têm acesso ao Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, promovido pela Associação Dignitude e apoiado pela Portugal Inovação Social, e que se destina a todos quantos não tenham capacidade de pagar os medicamentos.

Conheça estas e outras histórias AQUI

Janela da Esperança

Fecha-se uma porta, abre-se uma janela. O Expresso e a SIC Esperança — em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, o BPI e a Fundação “La Caixa” — juntam-se para um projeto que divulga iniciativas relevantes do terceiro sector.

Textos originalmente publicados no Expresso de 20 de janeiro de 2023