Guerra na Ucrânia

Líderes europeus adotam Bússola Estratégica, mas força rápida com 5000 militares é “altamente insuficiente”

26 março 2022 0:04

Hélder Gomes

Hélder Gomes

Enviado a Bruxelas

Jornalista

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, e Charles Michel, presidente do Conselho Europeu

olivier hoslet/epa

O novo plano de ação para o reforço da política de defesa e segurança no continente foi negociado durante cerca de dois anos, engordou em número de páginas e a sua adoção foi acelerada pela invasão da Ucrânia pela Rússia. “A UE está muito longe de ter a capacidade de defesa que tem a NATO”, avalia investigadora ao Expresso, mas a equiparação não terá sido um objetivo europeu

26 março 2022 0:04

Hélder Gomes

Hélder Gomes

Enviado a Bruxelas

Jornalista

Os líderes reunidos no Conselho Europeu em Bruxelas adotaram esta sexta-feira a Bússola Estratégica, o novo plano de ação para o reforço da política de defesa e segurança no continente. Tratou-se do aval dado pelos chefes de Estado e de Governo dos Estados-membros da União Europeia (UE) depois de, no início da semana, os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa terem aprovado o documento no chamado Conselho ‘Jumbo’. “A bússola dá uma direção e uma visão comum para os esforços da UE em segurança e defesa durante os próximos cinco-10 anos. É parte estratégia, parte plano de ação”, declarou o Conselho.