Guerra na Ucrânia

Consultores imobiliários procuram casas para refugiados

20 março 2022 20:15

Nuno Botelho

Nuno Botelho

foto

Fotojornalista

Portugal mobilizou famílias, associações e autarquias para garantir alojamento aos refugiados ucranianos

Profissionais da mediação imobiliária criaram, de forma voluntária, uma rede que já reuniu 3403 habitações para acolher famílias que estão a fugir da guerra da Ucrânia

20 março 2022 20:15

Nuno Botelho

Nuno Botelho

foto

Fotojornalista

Quartos em casas de familiares, alojamento cedido por pessoas anónimas, centros paroquiais e até estádios de futebol ou antigos centros de saúde. Estes são os alojamentos disponibilizados aos milhares de ucranianos que fogem do conflito no Leste europeu e que todos os dias chegam a Portugal.

Uns pagam renda, outros beneficiam da solidariedade nacional para morar em tempo de guerra num país distante. A solução tem sido disponibilizada através de uma plataforma gerida por um grupo de profissionais da mediação imobiliária. “De forma voluntária, localizamos alojamento temporário gratuito ou arrendamentos de baixo custo”, explica Carlos Carneiro, agente imobiliário e um destes voluntários. A rede Consultores Imobiliários pela Ucrânia atua de forma “desinteressada, não faz contratos ou mediação e apenas elenca ofertas e necessidades de alojamento”, precisa.