Guerra na Ucrânia

Britânicos estão mais dispostos a aceitar os custos das sanções à Rússia do que alemães, franceses e italianos

1 março 2022 12:22

Sondagem da Yougov conclui que as sanções económicas à Rússia, como resposta à invasão da Ucrânia, são a medida que reúne mais consenso entre os cidadãos de quatro países europeus

1 março 2022 12:22

Aplicar mais sanções económicas à Rússia é a medida que reúne maior apoio entre britânicos, alemães, franceses e italianos, segundo um inquérito da YouGov, uma plataforma de sondagens. Mas, perante o risco que essas sanções possam eventualmente trazer, seja aumento do custo da energia ou falta de gás, os britânicos são os que estão mais dispostos a mantê-las, ao contrário dos franceses que manifestam maior oposição perante os custos.

O apoio a sanções económicas à Rússia é maior entre os britânicos (77%), mas mais de metade dos alemães (65%), franceses (60%) e italianos (59%) também concordam com essa medida como resposta da Europa à invasão militar da Rússia à Ucrânia.

Segundo o inquérito da plataforma britânica de sondagens, realizado entre 24 e 28 de fevereiro, 44% dos britânicos concordam na mesma com essas sanções mesmo que provoquem falta de combustível (37% rejeitam-nas se essa for a consequência). Os alemães estão mais divididos: 41% apoiariam na mesma e 40% recuariam. Já os franceses, confrontados com os custos dessas sanções, mostram mais dúvidas: mais de metade opõe-se a essa medida se isso significar aumento de custo de vida, subida de preço da energia, falta de gás e combustível ou aumento de impostos para compensar os custos com a Defesa.

O inquérito mostra que as respostas mais duras envolvendo o envio de armamento e de tropas são, em geral, menos consensuais entre os cidadãos destes países europeus, embora se destaque um apoio maior dos britânicos. Enviar armas para a Ucrânia parece uma boa resposta para a maioria dos britânicos (60%), mas menos de metade dos cidadãos em França (47%), Alemanha (45%) e Itália (37%) concordam com a ideia. Colocar tropas em países da região e aliados da NATO tem o apoio de mais britânicos (54%) e alemães (50%), do que franceses (39%) e italianos (37%).

Entre as possíveis reações da Europa à invasão militar russa estão os ciberataques, uma opção defendida por metade dos britânicos (55%) e dos italianos (49%) e por 39% dos alemães. Outra hipótese apontada, alternativa a uma resposta militar, é convencer os meios de comunicação em língua russa a operar na Ucrânia a não apoiar as intenções de Putin, uma medida apoiada por 62% dos britânicos e metade dos alemães e italianos (49%).