Sistema financeiro

Novo Banco e BPI aprovam aumentos salariais de 4%... mas ainda têm de negociar com os sindicatos

17 janeiro 2023 17:09

ana baiao

Bancos privados aceitaram pagar, já a partir de janeiro, os salários dos funcionários com uma atualização de 4%, sendo que os sindicatos têm pedido subidas de pelo menos 6%. A negociação vai continuar

17 janeiro 2023 17:09

Tal como fez o Banco BPI, o Novo Banco antecipou o aumento salarial a aplicar aos seus trabalhadores. Será uma subida de 4%, sendo que seguir-se-ão mais negociações com os sindicatos, que pretendem que as valorizações salariais sejam superiores. As negociações não têm estado a correr bem – aliás, houve protestos junto às instituições bancárias, em Lisboa, na semana passada.

Em comunicado de imprensa, o banco liderado por Mark Bourke informa que “aprovou agora a antecipação de 4% de aumento salarial a aplicar à tabela de níveis ACT [Acordo Coletivo de Trabalho] em 2023, para todos os colaboradores no ativo”. O aumento no vencimento base do Novo Banco (que atua comercialmente com a marca novobanco) vai já refletir-se nos salários a serem pagos a partir de 23 de janeiro, na próxima semana.

Este valor supera os 2,5% que estavam a ser oferecidos pelos bancos privados (BPI, Novo Banco e Santander) nas negociações com os sindicatos, mas fica aquém dos mais de 6% que são pretendidos pelos sindicatos. Essas conversações manter-se-ão, podendo vir a ser definido um aumento até superior aos 4% agora antecipados nos vencimentos, que depois poderá ser refletido retroativamente.

“Mantendo em curso as negociações sindicais, o novobanco entendeu oportuno fazer, desde já, esta antecipação aos seus colaboradores. Este aumento será aplicado ao vencimento base (correspondente ao nível ACT) e processado já no próximo dia 23 de janeiro”, segundo o comunicado do banco detido na sua maioria pela Lone Star, mas em que o Estado, diretamente ou via Fundo de Resolução, detém 25% do capital.

“Esta iniciativa, juntamente com outras aplicadas já em 2023, complementa o pacote de medidas de apoio aos colaboradores do novobanco, lançado em dezembro 2022, onde se incluiu: i) o apoio extraordinário de 500 euros para os colaboradores com rendimentos brutos anuais abaixo de 30.000 euros e de 250 euros, para rendimentos acima desta quantia; ii) uma linha de crédito para apoio a situações de stress financeiro; iii) a possibilidade de antecipar 50% do subsídio de natal de 2023, e iv) flexibilização dos prazos de amortização do crédito habitação no regime de crédito habitação própria permanente - ACT”, indica ainda o Novo Banco.

Outros aumentos

Além do Novo Banco, o Banco BPI também está a aumentar já nesta magnitude os seus trabalhadores, como noticiou a Lusa no início da semana, com base num comunicado interno.

Estas negociações têm estado difíceis, com os bancos relutantes em chegar aos níveis reivindicados pelos sindicatos, apesar da melhoria transversal dos seus resultados em 2021. Na semana passada houve mesmo protestos junto das instituições em Lisboa.

Não foi ainda possível perceber se o Santander, o outro dos grandes bancos em negociação, irá proceder a esta subida antecipada dos salários em 4%, aguardando o Expresso um esclarecimento do banco.

A CGD e o BCP não se enquadram nestas negociações porque têm acordos de empresa, negociando individualmente com os sindicatos as atualizações salariais aí aplicadas.

No caso do banco público, a Caixa propõe aumentos de 3%, igualmente insuficientes para os sindicatos.