Sistema financeiro

Juros do BCE deverão chegar a um pico de 3,25% até junho, antes de começarem a cair

16 janeiro 2023 8:19

Sede do BCE, em Frankfurt. Foto: Getty Images

Dois aumentos de 50 pontos base e um de 25 pontos, até chegar aos 3,25%: é isto que preveem os economistas ouvidos pela Bloomberg, seguido de uma ligeira descida a partir de julho

16 janeiro 2023 8:19

Os especialistas já veem a ‘luz ao fundo do túnel’ no que diz respeito ao aumento dos juros. Dentro de meio ano os juros na Europa podem começar a descer, mas até lá ainda vão atingir o pico, segundo os economistas ouvidos pela “Bloomberg”.

Assim, a taxa diretora deverá atingir o pico de 3,25% (atualmente em 2%) em três etapas: dois aumentos de 50 pontos base em fevereiro e março e um aumento de 25 pontos base em maio ou junho. Depois, em julho, começará a descer, mais concretamente para 3%.

Mas, de acordo com a Bloomberg, este cenário sugere uma mudança drástica que o Banco Central Europeu (BCE) não prevê. A maioria dos funcionários do banco central pensa que as taxas, depois de atingirem o pico, vão permanecer nesse nível e não descer, como indicam os economistas.

Apesar de a inflação estar a abrandar ainda está elevada e a inflação subjacente - que exclui a energia e os bens alimentares não transformados, com preços mais voláteis - continua a crescer. Por exemplo, em Portugal, este indicador passou de uma variação homóloga de 7,2% em novembro de 2022 para 7,3% em dezembro, o valor mais elevado desde dezembro de 1993.

Os economistas ouvidos pela agência estimam que este indicador atinja, em média, 5,1% este trimestre e depois recue gradualmente para 3,5% no último trimestre de 2023.