Turismo

Vila Galé fechou o ano com receitas de €135 milhões em Portugal, mais 18% do que faturava antes da pandemia

11 janeiro 2023 17:33

A Vila Galé diz ter atualizado este ano "os ordenados mais baixos", e com isto "a folha salarial aumentou em 7%"

vila galé tavira

Os resultados turísticos de 2022 surpreenderam o grupo hoteleiro Vila Galé, cujas previsões iniciais apontavam para receitas 15% abaixo de 2019. O salário médio dos trabalhadores irá subir este ano 11%

11 janeiro 2023 17:33

Foi uma “agradável surpresa” para o grupo Vila Galé o apuramento de resultados da atividade em 2022: O grupo nacional, com 27 hotéis em Portugal e 10 no Brasil, totalizando 21 mil camas, fechou o ano com receitas de 135 milhões de euros em Portugal, representando um aumento de 18% face a 2019, o ano pré-covid. Globalmente, o grupo somou 218 milhões de euros de receitas totais, mais 12% do que no último ano antes da pandemia.

“Enganei-me - e ainda bem - nas previsões iniciais para 2022, e no início do ano, em que ainda estávamos no rescaldo da pandemia, as perspetivas eram de resultados 10% a 15% abaixo de 2019”, notou Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do grupo Vila Galé, em declarações aos jornalistas esta quarta-feira, para apresentar os resultados de 2022 e os planos para 2023.

Mas a partir de um primeiro trimestre que ainda resultou “muito fraco” no ano passado, “a situação a partir de março, abril, começou a melhorar, e os mercados internacionais retomaram, incluindo os europeus e também os Estados Unidos e Brasil”, referiu o administrador do grupo hoteleiro.

O destaque vai para o forte crescimento de turistas dos Estados Unidos em 2022 nos hotéis do grupo, que já representam cerca de 2,5% no peso total, equivalente ao dos brasileiros.

“No ano passado atingimos dois milhões de dormidas em Portugal, passaram pelos nossos hotéis 670 mil clientes, o que incluindo o Brasil atinge 3,5 milhões de dormidas”, resumiu o administrador da Vila Galé.

Crescimento de 53% de clientes portugueses nos hotéis

Um verdadeiro fenómeno foi evidenciado do lado do mercado português, que nos hotéis Vila Galé “conseguiu crescer face a 2019, 2020 e 2021” - e de forma expressiva no ano passado, assumindo uma fatia de 44% no total de dormidas e de 53% considerando o universo absoluto de clientes.

“Esta taxa de clientes nacionais é um recorde absoluto em Portugal”, frisou Jorge Rebelo de Almeida, CEO (presidente executivo) do grupo Vila Galé.

Em média, o preço médio nos hotéis do grupo aumentou 14% por efeito da inflação, e de todos os efeitos associados à guerra que se vive na Europa. O cabaz de compras alimentares da Vila Galé disparou 22%, segundo contas de dezembro de 2022.

Mas outro efeito positivo na melhoria das margens foi o facto de o grupo ter conseguido reforçar o nível de reservas através de canais diretos, sem intermediários, que em 2022 assumiram um peso de 42%.

Também no Brasil a operação correu “relativamente bem”, registando um crescimento de 25% face a 2019, e totalizando receitas de cerca de 83 milhões de euros (464 milhões de reais), essencialmente à conta do mercado interno do país.

“Felizmente o sector provou, uma vez mais, e apesar dos arautos da desgraça, que diziam que o turismo ia morrer, que conseguia recuperar. Explica-se muito pelo facto de todos os fatores que fizeram com que Portugal fosse um destino de sucesso se mantivessem válidos depois da pandemia”, notou Gonçalo Rebelo de Almeida, referindo que a guerra na Ucrânia não impactou muito na procura turística nos hotéis do grupo no ano passado, mas os efeitos sentiram-se sobretudo ao nível do aumento de custos.

Quatro novos hotéis a abrir em 2013

As políticas para atrair e valorizar o pessoal são uma das prioridades do grupo Vila Galé, que em 2023 vai avançar com um aumento médio de salários de 11% (num universo que abrange 1350 trabalhadores em Portugal), com especial ênfase nos funcionários com remunerações mais baixas.

O grupo instituiu também que em 2023, e com efeitos a partir de janeiro, o salarío mínimo dos trabalhadores dos hotéis Vila Galé é de 900 euros - “que continua a ser um salário baixo”, conforme reconheceu Jorge Rebelo de Almeida, presidente do grupo. “Mas conhecem alguma empresa que dê 65% de desconto aos trabalhadores em quaisquer dos seus hotéis?”, questionou.

Em 2023, o grupo Vila Galé vai abrir quatro novos hotéis em Portugal, começando com um “hotel das crianças” (para abrir a 1 de junho, no dia da criança), e um "hotel dos adultos" (para abrir a 1 de abril, “mas não é mentira”), ambos inseridos na vasta propriedade do Alentejo, no concelho de Beja, onde se insere o Vila Galé Clube de Campo.

A Vila Galé vai também abrir um hotel em Tomar, reabilitando um antigo colégio feminino, a 1 de junho, a tempo da tradicional festa dos tabuleiros. O grupo também irá fazer um esforço para antecipar a abertura do hotel nos Açores, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, para 11 de maio, de forma a estar operacional para as festas do senhor Santo Cristo.

“Continuamos a acreditar muito no interior, e vamos ter novidades a breve trecho”, garantiu Jorge Rebelo de Almeida, frisando que “precisamos de gente para o interior, que está vazio, e é um grande valor que nós temos no país”.