Economia

Inditex: lucros e vendas recorde no primeiro ano de liderança de Marta Ortega

9 abril 2023 20:09

Ángel Luis de la Calle

Ángel Luis de la Calle

Correspondente em Madrid

Marta Ortega está a transformar a Inditex numa empresa incontornável no mundo da moda

ramon costa/sopa images/lightrocket/getty images

Multinacional têxtil que controla lojas de roupa como a Zara, Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka ou Stradivarius quer investir €1600 milhões em 2023, com os EUA como alvo

9 abril 2023 20:09

Ángel Luis de la Calle

Ángel Luis de la Calle

Correspondente em Madrid

Marta Ortega, 39 anos, entrou na Inditex com o pé direito. No passado dia 1 cumpriu-se um ano desde a sua nomeação como nova presidente não executiva da Inditex, o gigante têxtil espanhol, e o balanço dos seus primeiros 12 meses à frente desta multinacional da moda que está presente em 214 mercados de todo o mundo não pode ser mais satisfatório. Os números relativos a 2022 constituem recordes a todos os níveis e o horizonte da empresa a médio prazo é claramente prometedor, segundo defendem os analistas.

É muito difícil avaliar que parte desse êxito corresponde diretamente à ação da filha mais nova de Amancio Ortega — fundador da Inditex e um dos homens mais ricos do mundo —, que foi designada sucessora pelo seu pai depois de um longo período de preparação e de reflexão, mas os dados são inequívocos: €4130 milhões de lucro líquido, €18.559 milhões de margem bruta e €32.569 milhões de vendas líquidas, números classificados como os mais brilhantes da história do grupo. Neste último ano a Inditex conseguiu situar-se como a empresa espanhola com maior capitalização bolsista, e esta semana valia em bolsa mais de €90 mil milhões, pois as ações subiram mais de 50% num ano. Boa parte deste mérito também é atribuí­vel, sem dúvida, ao novo conselheiro-delegado, Oscar García Maceiras, um advogado do Estado, de 46 anos, que chegou ao cargo ao mesmo tempo que Marta Ortega acedia à presidência do Conselho de Administração, após 17 anos de exercício continuado como máximo executivo por parte de Pablo Isla, o braço direito de Amancio Ortega e que foi o esteio da melhor etapa de expansão da Inditex.