Economia

Campanhã vai receber vasta operação de requalificação à ‘boleia’ do projeto para a Alta Velocidade

17 janeiro 2023 20:18

Elisabete Soares

d.r.

O ministro das Infraestruturas João Galamba, Rui Moreira e o arquiteto Joan Busquets apresentaram o Plano de Urbanização de Campanhã

17 janeiro 2023 20:18

Elisabete Soares

“O território que circunda a Estação de Campanhã ficará irreconhecível no médio e longo prazo, em virtude da ampla intervenção urbanística motivada pela linha ferroviária de Alta Velocidade”, garante Rui Moreira, presidente da autarquia portuense, na cerimónia de apresentação do Plano de Urbanização de Campanhã, que se realizou esta terça-feira na Sala das Sessões da Câmara Municipal do Porto.

Na cerimónia, que contou com a presença do ministro das Infraestruturas, João Galamba, Rui Moreira destacou que ancorado neste projeto da Infraestruturas de Portugal (IP), “será lançada uma vasta operação de requalificação urbana que permitirá eliminar barreiras físicas à mobilidade, melhorar as acessibilidades e estabelecer ligações entre áreas verdes”.

O autarca acredita que será desta vez que “Campanhã se tornará mais atrativa para o investimento público e privado em habitação, em comércio, serviços e start-ups, em iniciativas culturais ou em projetos ambientais”.

O Plano de Urbanização de Campanhã pretende assim operar uma profunda transformação do espaço urbano, desenvolvendo uma nova centralidade na zona oriental do Porto. O território em volta da estação ferroviária alterar-se-á substancialmente, no médio e longo prazo, em virtude da ampla intervenção urbanística motivada pela linha de Alta Velocidade Porto-Lisboa, a cargo da IP.

De destacar que a Estação de Porto - Campanhã será objeto de uma intervenção para integrar o novo serviço de alta velocidade e reforçar a sua centralidade, logo na Fase 1 - Porto - Soure da Linha da Alta Velocidade, cujo início de operação se encontra planeado para 2028.

Na sua intervenção João Galamba destacou a importância do projeto intermodal em preparação para Campanhã, e que o transporte ferroviário deve ser encarado com uma forma de desenvolver as cidades e o país.

A futura estação terá um caráter multimodal agregando várias valências, e constituir-se-á como o centro de um novo polo de atividade social e económica da Cidade do Porto, a IP e o Município do Porto acordaram conjugar esforços na elaboração de um plano de urbanização que abrange a área da estação e respetiva zona envolvente num total de 155 ha.

Os estudos urbanísticos foram adjudicados ao gabinete do professor Joan Busquets, BAU-B Arquitectura y Urbanismo, urbanista catalão com vasto currículo em planos de desenvolvimento urbano associados a grandes projetos de infraestruturas ferroviárias.

O âmbito dos estudos, iniciados a 20 de outubro de 2022, inclui igualmente o apoio à IP na definição do programa preliminar da estação que integrará o caderno de encargos do procedimento de concurso da Fase 1.